Brics deve pedir maior diálogo sobre Coreia do Norte, diz Aloysio Nunes

Chanceler brasileiro afirma que é "apavorante" o teste com bamba de hidrogênio

Ministro das Relações Exteriores, Aloysio NunesMinistro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes - Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Em Xiamen, na China, onde acompanha o presidente Michel Temer para a 9ª Cúpula do Brics (grupo que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), o chanceler brasileiro, Aloysio Nunes, disse hoje (3) que o teste com bomba de hidrogênio realizado pela Coreia do Norte aumenta a urgência para que se contenha uma escalada armamentista no mundo.

“É apavorante. O mundo está ficando cada vez mais perigoso. É preciso deter essa escalada. O Brasil condena e apoia as resoluções da ONU aplicando sanções à Coreia do Norte em razão dos seus testes nucleares”, afirmou.

Nunes adiantou que, na declaração final da cúpula, os líderes do Brics vão reforçar o apelo à negociação e ao diálogo entre as partes envolvidas para resolver as tensões na Península Coreana. “Não há saída fora da negociação entre as partes interessadas”.

O regime de Pyongyang disse neste domingo ter realizado com sucesso seu teste com uma bomba de hidrogênio mais potente até o momento. Segundo a TV estatal norte-coreana, o artefato pode ser instalado em um míssil balístico intercontinental.

Veja também

Turistas vão em massa a Dubai para fugir dos confinamentos
Pandemia

Turistas vão em massa a Dubai para fugir dos confinamentos

Países ricos vacinaram 39 milhões, pobres, apenas 25; OMS alerta para 'fracasso moral catastrófico'
Coronavírus

Países ricos vacinaram 39 milhões, pobres, apenas 25; OMS alerta para 'fracasso moral catastrófico'