Britânicos poderão pagar para manter vantagens após Brexit, diz negociador

Esse passo deflagrará uma rodada de negociações de dois anos para formalizar esse divórcio e suas condições

Os cidadãos britânicos que quiserem conservar os benefícios relacionados à filiação à União Europeia (UE) poderão ter a possibilidade de pagar Bruxelas por direitos individuais - afirmou o representante do Parlamento europeu nas negociações sobre o Brexit, Guy Verhofstadt, em uma entrevista ao jornal The Times. "Há muitos que dizem: 'não quero cortar meus vínculos'", começou o europarlamentar e o ex-primeiro-ministro belga.

"Me agrada a ideia de que as pessoas que são cidadãos europeus e que afirmam que querem continuar sendo tenham a possibilidade de fazê-lo. Como princípio, isso me agrada", completou o negociador. A primeira-ministra britânica, Theresa May, anunciou que planeja ativar o artigo 50 do Tratado de Lisboa para dar início às negociações que consolidarão a saída do bloco.

Esse passo deflagrará uma rodada de negociações de dois anos para formalizar esse divórcio e suas condições. Os principais pontos da negociação - e, talvez, os grandes focos de discórdia - são a imigração e o comércio, com a ameaça de que o Reino Unido perca acesso aos mercados.

O representante Andrew Bridgen, um firme defensor do Brexit, acusou Verhofstadt de estar semeando a divisão entre os britânicos. "É uma tentativa de criar duas classes de cidadãos no Reino Unido e de subverter a votação do referendo", afirmou. "A verdade é que Bruxelas vai tentar todos os truques possíveis para impedir que saiamos", declarou Bridgen.

Veja também

'Ataque terrorista islâmico', diz Macron após assassinato de três pessoas a facadas na França
Ataque na França

'Ataque terrorista islâmico', diz Macron após assassinato de três pessoas a facadas na França

Milhares de macacos aterrorizam cidade turística indiana
Índia

Milhares de macacos aterrorizam cidade turística indiana