Campanha no Facebook tem U$ 19,5 milhões para reunir famílias nos EUA

Organizada dentro da ferramenta chamada Fundraiser, do Facebook, a campanha para reunir famílias bateu todas as metas estipuladas. Desde o lançamento, o esforço de arrecadação de dinheiro aumentou regularmente sua meta.

Imigrantes ilegais detidos pela patrulha da fronteira dos Estados UnidosImigrantes ilegais detidos pela patrulha da fronteira dos Estados Unidos - Foto: US CUSTOMS AND BORDER PROTECTION / AFP

Mais de meio milhão de pessoas participaram de uma campanha de arrecadação de fundos realizada no Facebook para reunir crianças separadas dos pais que entraram ilegalmente nos Estados Unidos pela fronteira do México. Segundo a atualização deste sábado (23) o valor angariado pela campanha Reúna um pai imigrante com o filho, já ultrapassa os U$ 19,5 milhões de dólares (R$ 61 milhões). É o maior valor já arrecadado em uma campanha feita pela rede social.

Segundo a porta-voz da rede social Roya Soleimani Winner, mais 500 mil pessoas fizeram doações em prol da reunião das famílias separadas pela política tolerância zero da administração Donald Trump.

A campanha foi criada no sábado (16). Inicialmente com um alvo de U$1,5 mil dólares. Mas a arrecadação foi recorde na rede social com até U$10 mil dólares por minuto. Organizada dentro da ferramenta chamada Fundraiser, do Facebook, a campanha bateu todas as metas estipuladas. Desde o lançamento, o esforço de arrecadação de dinheiro aumentou regularmente sua meta. Neste sábado a meta foi alterada para U$25 milhões.

Leia também:
Medida de Trump que separa pais e filhos imigrantes é cruel, diz ministro
Trump recua e assina ordem para que EUA evitem separar pais e filhos
EUA não vão virar campo de refugiados, afirma Donald Trump


Criadores
A campanha foi criada pelo casal Charlotte Willner e Dave Willner, moradores da Califórnia. Ambos trabalharam no grupo que fundou o Facebook. Eles tomaram a decisão, segundo a imprensa californiana, após ver um foto da menina hondurenha de 2 anos, olhando e chorando para a mãe, enquanto ela era revistada pela patrulha fronteiriça, no Sul do Texas.

Charlote diz que ela e o esposo lembraram-se da própria filha, de 2 anos, ao ver a menina chorando, e decidiram criar a campanha. “Essas não são crianças com as quais não precisamos nos importar. Elas são como nossos filhos ”, disse Charlotte Willner ao San Jose Mercury News, um jornal local da Califórnia.

O dinheiro arrecado será usado para campanhas do Refugee and Immigrant Center for Education and Legal Services, RAICES, uma organização sem fins lucrativos que fornece serviços legais gratuitos para crianças, famílias e refugiados imigrantes no centro e sul do Texas.

Veja também

Charles não quer deixar filho de Harry se tornar príncipe, diz jornal
Família Real

Charles não quer deixar filho de Harry se tornar príncipe, diz jornal

EUA congelam negociações na área ambiental, e Brasil teme retaliação econômica
Mundo

EUA congelam negociações na área ambiental