Carlos Ghosn recebe nova acusação formal da promotoria de Tóquio

O ex-presidente do conselho de administração da Nissan é parte de uma batalha judicial desde novembro do ano passado

O brasileiro Carlos Ghosn foi preso em 19 de novembro acusado de fornecer declarações de renda falsas às autoridades financeirasO brasileiro Carlos Ghosn foi preso em 19 de novembro acusado de fornecer declarações de renda falsas às autoridades financeiras - Foto: Eric Piermont / AFP

A promotoria de Tóquio apresentou nesta segunda-feira (22) uma nova acusação formal contra o brasileiro Carlos Ghosn por agravamento de abuso de confiança.

O ex-presidente do conselho de administração da Nissan é parte de uma batalha judicial desde novembro do ano passado sobre supostas irregularidades financeiras.

Leia também:
Carlos Ghosn deixa a prisão em Tóquio após mais de 100 dias de detenção
Conselho da Nissan tira Carlos Ghosn da presidência da montadora

A promotoria acusa Ghosn de ter enviado dinheiro para uma concessionária em Omã, e que parte das divisas teria acabado nas mãos de uma empresa de fachada no Líbano, que ele próprio controla.

A promotoria aponta que a Nissan perdeu quase 5 milhões de dólares como resultado da transação.

O ex-executivo foi preso pela quarta vez no início deste mês. Ghosn nega todas as acusações.

Veja também

EUA destacam 'metas promissoras' de Bolsonaro para proteção ambiental
Diplomacia

EUA destacam 'metas promissoras' de Bolsonaro para proteção ambiental

Israel realiza novos bombardeios na Faixa de Gaza em resposta a balões incendiários
Conflito

Israel realiza novos bombardeios na Faixa de Gaza em resposta a balões incendiários