Carro que teria sido de Hitler não atinge valor mínimo em leilão nos EUA

A casa de leilões Worldwide Auctioneers disse que os lances chegaram a US$ 7 milhões (R$ 22 milhões), abaixo do mínimo de US$ 10 milhões esperados

Mercedes-Benz 1939Mercedes-Benz 1939 - Foto: Laura Segall / Agence France-Presse / AFP

Um carro Mercedes-Benz 1939 que teria sido usado pelo ditador alemão Adolf Hitler (1889-1945) foi colocado para venda em um leilão em Scottsdale, Arizona (EUA) nesta semana, mas os lances não atingiram o valor mínimo e veículo não foi vendido.
A casa de leilões Worldwide Auctioneers disse que os lances chegaram a US$ 7 milhões (R$ 22 milhões), abaixo do mínimo de US$ 10 milhões esperados. Mas "as negociações pós-leilão continuam", disse a Worldwide Auctioneers -ou seja, o carro ainda pode ser vendido.

O Mercedes-Benz 770K Grosser Offener Tourenwagen, fabricada em 1939, é um dos apenas cinco carros do tipo existentes. A casa de leilões afirma que o veículo foi encomendado por Hitler e usado por ele em desfiles durante seu governo. O veículo foi tomado pelo Exército norte-americano depois da vitória dos Aliados na 2ª Guerra Mundial.

Leia também:
Áustria expropria a casa natal de Hitler
Alemanha reduzirá ainda mais presença diplomática na Coreia do Norte

Para a Worldwide Auctioneers, o carro tem valor histórico e é "um memorial definitivo da vitória dos Aliados sobre o mal". A casa de leilões sofreu críticas, porém, devido à venda do carro, com preocupações em relação à compra de artefatos nazistas por simpatizantes da ideologia.

Em resposta, a casa de leilões prometeu doar 10% do valor de venda do veículo ao Centro Simon Wiesenthal, uma organização não-governamental judaica de direitos humanos. Outros questionam o valor histórico do carro: "Há muitas Mercedes nas quais Hitler se sentou. Por isso, atribuir valor histórico a esse veículo só porque Hitler uma vez encostou seu 'derrière' nele...", disse o historiador Michael Rubinoff, da Universidade Estadual do Arizona, ao jornal "Arizona Republic".

Veja também

América Latina e Caribe passam dos três milhões de casos da Covid-19
Epicentro

América Latina e Caribe passam dos três milhões de casos da Covid-19

EUA inicia saída formal da Organização Mundial da Saúde
Rompimento

EUA inicia saída formal da Organização Mundial da Saúde