China registra 'boom' do segundo filho

Trata-se de uma consequência do fim da política do filho único no país

Criança chinesaCriança chinesa - Foto: Reprodução/Pixabay

A maioria dos recém-nascidos chineses são agora o segundo filho das famílias, como consequência do fim da política do filho único na China, anunciou nesta terça-feira (31) a imprensa oficial.

De janeiro a agosto, este país - o mais povoado do mundo, com 1,38 bilhão de habitantes - registrou 11,6 milhões de recém nascidos, dos quais 52% são segundos filhos, segundo a agência Xinhua, que cita a Wang Peian, diretor adjunto da Comissão nacional de saúde e planejamento familiar (CNSPF).

Leia também:
Natalidade na China é a mais elevada desde 2000
China bloqueia WhatsApp antes de congresso do Partido Comunista


Em todo ano de 2016, esse percentual era somente de 45%, segundo a mesma fonte.

Diante do envelhecimento de sua população, a China voltou atrás últimos anos sua política do filho único, implementada desde o final do ano de 1970.

Desde 2013, os casais têm direito a um segundo filho se um de seus integrantes é filho único. A partir de 1 de janeiro de 2016 essa possibilidade foi ampliada a todos os casais.

No ano passado foi registrada a maior alta anual de nascimentos na China (+1,3 milhão) a 18,5 milhões, a maior desde 2000, segundo dados da CNSPF citadas pela Xinhua.

Veja também

Biden diz que Trump lhe deixou uma carta 'muito generosa'
EUA

Biden diz que Trump lhe deixou uma carta 'muito generosa'

Covid-19: ministros e embaixador chinês discutem envio de insumos
Vacina

Covid-19: ministros e embaixador chinês discutem envio de insumos