China: Trump 'dará um tiro no pé' em relação a Taiwan

Taiwan é considerado pela China como uma ilha rebelde

Tsai Ing-wen, presidente de Taiwan, ligou para Trump para felicitá-loTsai Ing-wen, presidente de Taiwan, ligou para Trump para felicitá-lo - Foto: AFP

O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, "dará um tiro no pé" se insistir em reforçar as relações entre Washington e Taiwan, que é considerado pela China como uma ilha rebelde, advertiu nesta segunda-feira (16) o executivo chinês.

Pequim impõe o reconhecimento do princípio político de uma só China em relação a Taiwan a todos os países com os quais mantêm relações diplomáticas.

Essa fórmula impede o reconhecimento formal da independência da ilha de Taiwan, politicamente separada do continente desde o fim da guerra civil de 1949, e que Pequim deseja unificar com o resto da China.

Em entrevista ao Wall Street Journal na semana passada, Donald Trump declarou estar disposto a questionar esse princípio, por considerar que "tudo é negociável, incluindo (o princípio) de uma só China".

Os Estados Unidos respeitam esse princípio desde 1979, quando rompeu vínculos com Taiwan e reconheceu Pequim.

"Se alguém tenta violar o princípio de uma só China, enfrentará a oposição geral do governo e do povo chinês, assim como da comunidade internacional", acrescentou a porta-voz do ministério de Relações Exteriores, Hua Chunying.

"No final ele dará um tiro no pé", considerou Chunying.

O reconhecimento de uma só China "não é negociável", indicou em comunicado no último fim de semana o governo de Pequim.

Veja também

Pedro Castillo toma posse como presidente do Peru
América Latina

Pedro Castillo toma posse como presidente do Peru

Esperança de encontrar sobreviventes de explosão na Alemanha é cada vez menor
Acidente

Esperança de encontrar sobreviventes de explosão na Alemanha é cada vez menor