Ciclone mata 38 pessoas em Moçambique e deixa rastro de destruição

O governo estima que um milhão de pessoas tenham sido afetadas

MoçambiqueMoçambique - Foto: Emidio Josine/AFP

Chove sem parar há três dias na província de Cabo Delgado, no norte de Moçambique, já severamente afetada pela passagem, quinta-feira, do ciclone Kenneth.

O governo estima que um milhão de pessoas tenham sido afetadas.

Até o momento, há 38 mortos, mas o número deverá aumentar nas próximas horas à medida em que o socorro chega a povoações mais distantes.

Leia também:
Mulheres de Moçambique tiveram que trocar sexo por comida após ciclone, diz ONG
Número de mortos no ciclone Kenneth sobe para 38 em Moçambique


A devastação foi generalizada e deve se agravar por causa das inundações. O desespero marca a ordem do dia para a população e para os que vão prestar auxílio.

A ONU - Organização das Nações Unidas - admitiu grandes problemas em fazer chegar ajuda à região.

É uma situação "incrivelmente difícil", explicou o gabinete das Nações Unidas para os Assuntos Humanitários.

As chuvas contínuas, que caem desde a madrugada de domingo, tornaram quase impossível a missão de entregar auxílio às populações afetadas.

Veja também

Clima foi 'fator decisivo' em incêndios na Austrália nos últimos anos, diz estudo
Austrália

Clima foi 'fator decisivo' em incêndios na Austrália nos últimos anos, diz estudo

Presidente chinês promete um bilhão de doses da vacina anticovid à África
Vacinação

Presidente chinês promete um bilhão de doses da vacina anticovid à África