Comissão dos EUA confirma investigação sobre práticas do Facebook

Parlamentares dos EUA solicitaram oficialmente que Mark Zuckerberg, presidente do Facebook, explique em uma audiência do Congresso do país como os dados dos usuários foram liberados

FacebookFacebook - Foto: AFP

A FTC (Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos, na sigla em inglês) reconheceu nesta segunda-feira (26) que está investigando as práticas de privacidade do Facebook.

A iniciativa ocorre na ressaca do escândalo envolvendo a consultoria política Cambridge Analytica, que teve acesso a informações pessoais de usuários do Facebook para manipular a eleição presidencial americana de 2016 a favor de Donald Trump.
Agências de notícias informaram na semana passada que a FTC avaliava se o Facebook havia violado um decreto de consentimento de 2011, em que acordou com as autoridades sobre suas práticas de privacidade.

Na sexta-feira (23), parlamentares dos EUA solicitaram oficialmente que Mark Zuckerberg, presidente do Facebook, explique em uma audiência do Congresso do país como os dados dos usuários foram liberados para a consultoria.

Leia também: 
Facebook se desculpa na Grã-Bretanha com anúncios nos jornais
Facebook vai priorizar notícias locais no feed de usuários em todos os países

Uma comissão parlamentar britânica também convocou Zuckerberg para falar sobre o suposto uso ilegal de informações pessoais. À rede CNN, Zuckerberg disse na quarta (21) que está disposto a depor no Congresso americano e lamentou o ocorrido.
"Em retrospecto, foi um erro acreditar na Cambridge Analytica", disse. "E precisamos garantir que nunca mais cometamos o erro de novo.

Veja também

Chile supera meio milhão de casos de Covid-19 na véspera do plebiscito constitucional
América Latina

Chile supera meio milhão de casos de Covid-19 na véspera do plebiscito constitucional

Papa nomeia italiano novo patriarca latino de Jerusalém
Vaticano

Papa nomeia italiano novo patriarca latino de Jerusalém