Conferência da ONU aprova agenda contra as mudanças climáticas

Acordo de Paris deve começar a ser aplicado em 2020 e para isto é necessário desenvolver seu conteúdo

Raul Henry e Fernando Bezerra CoelhoRaul Henry e Fernando Bezerra Coelho - Foto: Divulgação

A conferência do clima da ONU (COP22) aprovou nesta sexta-feira (18), em Marrakech, uma agenda para combater as mudanças climáticas e seus 196 signatários deram prazo de um ano para avaliar seus avanços.

Os negociadores ratificaram seu compromisso de combater o aquecimento do planeta dez dias depois da vitória eleitoral nos Estados Unidos do republicano Donald Trump, que ameaçou retirar a superpotência deste combate.

O COP22 de Marrakech iniciou a contagem regressiva para implementar o histórico Acordo de Paris de 2015, cujo objetivo é que o planeta não supere +2º C com relação à era pré-industrial.

O Acordo de Paris deve começar a ser aplicado em 2020 e para isto é necessário desenvolver seu conteúdo, estabelecendo as instituições ou plataformas necessárias.

Para isto, as partes decidiram se reunir novamente em novembro de 2017 "para revisar o avanço da implementação", destacou o texto final.

Os países continuarão negociando o financiamento, o calendário, a transparência dessa luta contra as mudanças climáticas, os compromissos de transição energética, a transferência de tecnologia, entre outros aspectos, para encerrar a negociação "no mais tardar" na COP24 de 2018.

A partir de 2020 deve começar a funcionar um Fundo de 100 bilhões de dólares anuais, em dinheiro público e privado, para ajudar aos países em desenvolvimento e pobres.

Também a partir desta data se torna obrigatório o exame mútuo a cada cinco anos do controle de emissões de gases com efeito estufa, a peça-chave para controlar gradualmente o aquecimento do planeta.

A COP23 de 2017 será celebrada em Bonn (Alemanha) embora Fiji vá presidi-la, e a sessão seguinte será na Polônia.

Diante da possibilidade de que os Estados Unidos abandonem o Acordo de Paris, os países da COP22 aprovaram na quinta-feira uma Proclamação de Marrakech em que reafirmam que sua luta é "irreversível" e pedem "o máximo compromisso político" dos líderes mundiais.

Veja também

Donald Trump vota antecipadamente na Flórida
Eleições nos EUA

Donald Trump vota antecipadamente na Flórida

Estados Unidos tem recorde de 80 mil novos casos de Covid-19 em 24 horas
Coronavírus

Estados Unidos tem recorde de 80 mil novos casos diários de Covid