Conflitos preocupam a ONU durante pandemia

Apelo de paz foi endossado por 70 países, diz chefe da ONU

ONUONU - Foto: Divulgação

O secretário-geral das Nações Unidas (ONU), o português António Guterres, divulgou balanço dos resultados do pedido de cessar-fogo global feito há dez dias, em meio a pandemia da Covid-19. Segundo ele, “um número substancial de partes em conflito expressou aceitação”, porém “existe uma enorme distância entre declarações e ações, entre traduzir palavras para paz no terreno e na vida das pessoas.”

O chefe da ONU afirma que o apelo de paz “está ressoando em todo o mundo” e foi endossado por cerca de 70 países - além de líderes religiosos, incluindo o papa Francisco, organizações não-governamentais e redes ativistas da sociedade civil.

Conforme relatório das Nações Unidas, diplomatas enviados e representantes locais da ONU estão tendo êxito para negociar pausa nos combates internos e externos, enquanto há o surto do novo coronavírus. Esse é o caso de Camarões, Colômbia, Filipinas, Mianmar, República Centro-Africana, Sudão, Sudão do Sul e Ucrânia.

Leia também:
Pandemia é maior desafio desde a 2ª Guerra Mundial, alerta ONU
Morre no Reino Unido menino de cinco anos infectado com coronavírus




O secretário-geral das Nações Unidas, no entanto, se preocupa com situação no Afeganistão, Iêmen, Líbia e na Síria. De acordo com a Agência de Notícias da ONU, no Afeganistão estão “abertas negociações diretas com o Talibã”. No Iêmen, “o conflito piorou”. Na Líbia, “os conflitos aumentaram drasticamente em todas as linhas de frente”. E Na Síria, onde a covid-19 já provocou mortes, “continua em vigor a trégua em Idlib”.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

 

Veja também

Viúva do presidente assassinado do Haiti acusa seguranças por crime
Internacional

Viúva do presidente assassinado do Haiti acusa seguranças por crime

Biden afirma que novas restrições serão impostas nos EUA em função da Covid-19
VARIANTE DELTA

Biden afirma que novas restrições serão impostas nos EUA em função da Covid-19