Mundo

Congresso peruano instala comissão para investigar subornos de empresas brasileiras

O grupo de trabalho tem 180 dias para investigar os supostos subornos pagos por empresas brasileiras no escândalo 'Lava Jato', em particular a Odebrecht

Deputado federal Ossessio Silva (Republicanos-PE) Deputado federal Ossessio Silva (Republicanos-PE)  - Foto: Eulla Carvalho

O congresso do Peru instalou nesta quarta-feira (4) uma comissão multipartidária que investigará supostos subornos de empresas brasileiras a funcionários peruanos nos últimos três governos.

"Não somos fiscais, não somos juízes, somos congressistas que faremos um trabalho responsável que chegue à verdade e à sanção dos responsável por estes fatos denunciados", disse em coletiva de imprensa o parlamentar do partido fujimorista Força Popular, Víctor Albrecht, presidente da comissão.

O grupo de trabalho, criado em 10 novembro, tem 180 dias para investigar os supostos subornos pagos por empresas brasileiras no escândalo 'Lava Jato', em particular a Odebrecht, que admitiu ter subornado funcionários em vários países, Peru entre eles, para ganhar obras públicas entre 2005 e 2014.

Albrecht disse à imprensa que serão citados na comissão os três últimos ex-presidentes: Alejandro Toledo, Alan García e Ollanta Humala.

Nas indagações da comissão estão incluídas também as construtoras Camargo Correa, OAS, Andrade Gutiérrez, Queiroz Galvão e outras que teriam se beneficiado com obras em troca do pagamento de propinas, segundo uma nota do Congresso.

Esta é a segunda comissão sobre a 'Lava Jato' instalada no Congresso peruano. A primeira foi na legislatura anterior, entre 2011 e 2016.

Essa comissão suspendeu o sigilo bancário de cerca de 150 pessoas, entre elas ministros, vice-ministros e presidentes, mas só encontrou uma pessoa que não pôde justificar 400.000 dólares e que por isso foi colocada à disposição do Ministério Público (MP).

A Odebrecht está negociando com o MP do Peru a entrega de informação e devolução de dinheiro dos ganhos ilícitos no país.

Odebrecht participou de mais de 40 projetos no período investigado (2005-2014) no Peru, executados com um gasto público de aproximadamente 12 bilhões dólares.

O Ministério Público peruano tem investigado o desdobramento do caso 'Lava Jato' no país desde novembro. Há uma semana, o Ministério da Justiça do Peru criou um grupo especial para analisar as informações resultantes das investigações sobre as denúncias de subornos contra a Odebrecht.

Veja também

Petróleo continua caindo apesar de retomada da demanda nos EUA
Petróleo

Petróleo continua caindo apesar de retomada da demanda nos EUA

Conservadores britânicos sofrem revés nas eleições locais
Londres

Conservadores britânicos sofrem revés nas eleições locais

Newsletter