Coreia do Norte celebra aniversário e defende reforço do potencial nuclear

Cerimônia teve apelo por reforço do potencial militar nuclear do país

Coreia do NorteCoreia do Norte - Foto: Kcna Vis Kns/AFP

A Coreia do Norte celebrou neste sábado (9) o aniversário da fundação do país com um apelo por um reforço de seu potencial militar nuclear, ignorando as ameaças de novas sanções internacionais.

Em um editorial, o jornal Rodong Sinmun, órgão do partido único na Coreia do Norte, se pronunciou neste sentido e fez referência à política conhecida como "Byungjin", que consiste em desenvolver simultaneamente a economia do país e seu potencial nuclear, assim como a filosofia nacional Juche, ou autossuficiência.

Leia também:
China apoia medidas contra Coreia do Norte
Provocações da Coreia do Norte podem ocasionar situação imprevisível, diz Seul


"O setor da defensa, em harmonia com a política Byungjin do partido, deve produzir quantidades maiores de armas de ponta, de acordo com o Juche", afirma o Rodong Sinmun.

O jornal deseja mais "acontecimentos milagrosos" como os dois testes de mísseis balísticos intercontinentais (ICBM) que a Coreia do Norte realizou recentemente com sucesso. Os testes, destaca a publicação, pretendiam dissuadir o governo dos Estados Unidos de sua suposta intenção de "decapitar" a direção norte-coreana.

"Não importa o alvoroço dos Estados Unidos e de seus fantoches, a Coreia do Norte continuará sendo uma cidadela eterna revestida de ferro", afirmou o jornal estatal no aniversário da fundação em 1948, da República Popular Democrática da Coreia (RPDC), nome oficial da Coreia do Norte.

Na mesma data há um ano, em 9 de setembro de 2016, Pyongyang executou seu quinto teste nuclear. O regime norte-coreano realizou o sexto teste na semana passada. Pyongyang anunciou que utilizou uma bomba de hidrogênio, ou bomba H miniaturizada e apta para ser colocada em um ICBM. Em julho o país também testou dois ICBM.

As atividades nucleares e balísticas infringem as resoluções da ONU, que já aprovou sete séries de sanções contra Pyongyang. O ministério sul-coreano da Defesa afirmou neste sábado que não há sinais de que a Coreia do Norte estaria preparando um teste nuclear ou lançamento de míssil para esta data.

"O exército (sul-coreano) mantém sua postura de defesa máxima e vigia de perto o Norte. Mas não há nada fora do normal neste sábado", declarou um porta-voz do ministério.

O governo dos Estados Unidos exige novas sanções contra Pyongyang desde o sexto teste norte-coreano. Washington deseja que o Conselho de Segurança vote na segunda-feira sobre o tema, apesar da oposição de China e Rússia a uma primeira versão do texto.

Em uma reunião de especialistas dos 15 membros do Conselho de Segurança, na sexta-feira, Moscou e Pequim se pronunciaram contra o conjunto de medidas solicitadas por Washington, exceto para o setor têxtil, segundo fontes diplomáticas.

Veja também

Caminhão mata 15 pessoas que dormiam em estrada na Índia
Tragédia

Caminhão mata 15 pessoas que dormiam em estrada na Índia

Meghan tenta evitar julgamento em caso contra jornal britânico por invasão de privacidade
FAMÍLIA REAL

Meghan tenta evitar julgamento em caso contra jornal britânico por invasão de privacidade