A-A+

Cristina Kirchner encara julgamento por corrupção em meio à campanha eleitoral

O processo deve se estender por aproximadamente um ano, com audiências semanais

Cristina KirchnerCristina Kirchner - Foto: José Cruz/Agência Brasil

Ex-presidente, senadora e candidata a vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner enfrenta nesta terça-feira a primeira audiência de um julgamento por suposta corrupção que será realizada paralelamente à campanha para as eleições de outubro próximo.

Kirchner, uma advogada de 66 anos que governou a Argentina em dois períodos (2007-2011 e 2011-2015), enfrenta doze processos por suposta corrupção e cinco pedidos de prisão preventiva, dos quais ela está isenta devido a sua imunidade parlamentar.

Leia também:
Nos EUA, Bolsonaro se diz preocupado com eleições argentinas
Bolsonaro apela a argentinos para não votar em Cristina Kirchner


O processo que começa nesta terça-feira diz respeito ao caso conhecido como Vialidad e é o primeiro que vai a julgamento, devendo se estender por aproximadamente um ano, com audiências semanais.

A ex-presidente é obrigada a se apresentar nesta primeira audiência, mas depois poderá ser representada por seus advogados.

O caso diz respeito ao suposto favorecimento ao empresário Lázaro Báez, ligado à família Kirchner, na concessão de licitações de obras públicas.

Segundo o processo, muitas das obras se situavam na província de Santa Cruz (sul), de onde era oriundo seu marido, o já falecido ex-presidente Néstor Kirchner, e foram pagas, mas não terminadas, além de terem sido superfaturadas.

Além do próprio Lázaro Báez, o ex-ministro do Planejamento, Julio de Vido, e o ex-secretário de Obras Públicas, José López, ambos detidos, também são acusados neste caso.

Cortina de fumaça

Kirchner, que no fim de semana surpreendeu os argentinos com o anúncio de que vai optar pela vice-presidência em uma fórmula liderada por seu ex-chefe de gabinete Alberto Fernandez, argumenta que os processos judiciais contra ela são "perseguição política" que serve como distração para a grave crise econômica do país sul-americano.

"Claramente, não se trata de fazer justiça, apenas montar uma nova cortina de fumaça que visa a distrair argentinos e argentinas - cada vez com menos sucesso - da situação dramática que nosso país e nosso povo estão experimentando", disse ela na terça-feira em mensagem através de redes sociais.

Outras causas
Entre os processos, a acusação mais séria que pesa sobre Kirchner é a mencionada no caso conhecido como "Os cadernos de corrupção", ainda em fase de investigação, que trata de supostos subornos a empresários no valor de mais de 160 milhões de dólares em pastas cheias de dinheiro.

Por essa razão, suas três residências foram revistadas no ano passado: uma no departamento em Buenos Aires e duas casas na região da Patagônia.

Kirchner também aguarda a data de mais um julgamento em que é acusada de lavagem de dinheiro junto a seus filhos Máximo, deputado, e Florencia, cineasta.

Veja também

Índia vai exportar oito milhões de vacinas anticovid em outubro
Vacinas

Índia vai exportar oito milhões de vacinas anticovid em outubro

Rússia pede que EUA seja 'mais ativo' na renovação do acordo nuclear com o Irã
Acordo Nuclear

Rússia pede que EUA seja 'mais ativo' na renovação do acordo nuclear com o Irã