Deputado egípcio propõe testes de virgindade nas universidades

"Toda garota que entrar na universidade deve ser examinada para provar que é virgem", afirmou Elhamy Agina

Os pobres diabosOs pobres diabos - Foto: Divulgação

Um deputado egípcio causou polêmica na internet, após sugerir que as universidades do país deveriam submeter as estudantes a um teste de virgindade antes de sua admissão.

"Toda garota que entrar na universidade deve ser examinada para provar que é virgem", afirmou na quinta-feira (29) o deputado Elhamy Agina em entrevista ao jornal Youm 7. A declaração rendeu deboches nas redes sociais.

"Eu não tinha dito a vocês que ainda estávamos longe de tocar o fundo e que o pior está por vir?", reagiu no Twitter Gamal Eid, um famoso advogado que dirige a Rede Árabe para a Informação sobre Direitos Humanos.

"Temos um membro do Parlamento obcecado por sexo", indicou o jornalista Khaled Dawud. Elhamy Agina já tinha feito declarações controversas a favor da circuncisão feminina, também conhecida como mutilação genital feminina, uma prática proibida no Egito, mas muito difundida.

O deputado disse à AFP, nesta sexta-feira (30), que suas declarações foram mal interpretadas e que decidiu boicotar os meios de comunicação. "As pessoas me atacam, e elas estão aborrecidas (...) Decidi não interagir com os meios", afirmou. "Não fiz uma petição, fiz uma sugestão. Há uma grande diferença", acrescentou.

Segundo o deputado, o jornalista do Youm 7 tinha lhe perguntado sobre o papel do governo para acabar com a prática dos casamentos consuetudinários - união religiosa não oficial para os muçulmanos - e, então, ele sugeriu os testes de virgindade.

Veja também

Estados Unidos superam os nove milhões de casos da Covid-19
Pandemia

Estados Unidos superam os nove milhões de casos da Covid-19

Covid-19: Itália tem novo recorde de notificações, com 31 mil novos casos em 24 horas
Covid-19

Itália tem novo recorde de notificações de casos