Desmatamento na Amazônia peruana tem leve queda, mas ainda é alto

Duas das áreas mais afetadas pelo desmatamento ficam em regiões de fronteira com o Brasil

Desmatamento na Floresta AmazônicaDesmatamento na Floresta Amazônica - Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

O desmatamento de bosques amazônicos no Peru diminuiu 11% em 2015, em relação ao ano anterior, mas continua alto: 156.505 hectares de bosques úmidos desapareceram - informou o Serviço Nacional Florestal e de Fauna Silvestre (Serfor) nesta quinta-feira (26).

Em 2014, o desmatamento foi de 177.566 hectares, indica um comunicado do Serfor. Entre 2001 e 2015, a destruição de bosques somou 1.809.590 hectares no país.

A região de Loreto foi a mais desmatada em 2015, com a perda de 31.670 hectares, seguida de Ucayali, com 29.714 hectares, segundo o informe. Ambas ficam na fronteira com o Brasil.

A essas regiões, somam-se Huánuco (selva central), com 22.912 hectares; a região San Martín, com 22.101 hectares; e Madre de Dios (sul), com 17.807 hectares, um setor com alta presença de mineração ilegal.

Nos últimos 14 anos, as regiões com maior perda de cobertura verde foram San Martín, com 382.000 hectares, e Loreto, com 347.000 hectares.

O informe foi elaborado pelo Serfor e pelos Ministérios da Agricultura e do Meio Ambiente, usando uma metodologia desenvolvida pela Universidade de Maryland, nos Estados Unidos.

O Peru possui 73 milhões de hectares de bosques naturais e ocupa o segundo lugar na América Latina em relação à extensão de cobertura florestal, segundo o Ministério da Agricultura.

Veja também

Nove dos mineiros soterrados em mina na China morreram
RESGATE

Nove dos mineiros soterrados em mina na China morreram

Ricos saem ilesos, até mais fortes, da pandemia, aponta ONG
DESIGUALDADE

Ricos saem ilesos, até mais fortes, da pandemia, aponta ONG