Donald Trump: 180 dias de um goveno complicado e polêmico

"O que fizemos em um curto período de tempo e o que faremos nos próximos seis meses será incrível", disse o magnata

Donald Trump Donald Trump  - Foto: Saul Loeb/AFP

O presidente americano, Donald Trump, completou, na quinta-feira (20), seis meses no poder. Para seus companheiros republicanos ele precisa superar um início complicado e conquistar a reforma fiscal antes de completar o primeiro ano. Desde 20 de janeiro o presidente já voltou atrás em 14 leis estabelecidas por seu antecessor,
Barack Obama, principalmente sobre meio ambiente e indústrias. Também venceu uma batalha fundamental no Senado, ao confirmar o juiz conservador Neil Gorsuh na Suprema Corte, e assinou inúmeras ordens executivas. "O que fizemos em um curto período de tempo e o que faremos nos próximos seis meses será incrível", disse o magnata na última segunda-feira.

Mas uma grande realização legislativa o eludiu, incluindo a revogação das reformas de saúde conquistadas por Obama, e que dividiu os republicanos. Apesar da intensa pressão do presidente, incluindo uma reunião da Casa Branca com os republicanos do Senado na última quarta-feira, os legisladores parecem ansiosos para seguir adiante.

"Vamos seguir na reforma tributária e de infraestrutura", disse o líder da maioria do Senado, Mitch McConnell. "As reformas da previdência social e das taxas são duas grandes coisas que temos que fazer para completar o ano para a nossa agenda de outono”, disse o porta-voz da Câmara dos Representantes, Paul Ryan.

Veja também

EUA não suspenderão proibições a viagens, apesar do anúncio de Trump, diz porta-voz de Biden
Pandemia

EUA não suspenderão proibições a viagens, apesar do anúncio de Trump, diz porta-voz de Biden

Oxigênio enviado a Manaus pela Venezuela cruza fronteira com o Brasil
Solidariedade

Oxigênio enviado a Manaus pela Venezuela cruza fronteira com o Brasil