Egito: presidente do sindicato da imprensa é condenado a 2 anos de prisão

Kallache, o secretário-geral do sindicato, Gamal Abdelrahim, e o chefe da comissão de liberdade de imprensa, Khaled Elbalshy, estavam sendo julgados desde junho passado.

Carteira de trabalhoCarteira de trabalho - Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília

O presidente do sindicato da imprensa egípcia, Yehta Kallache, e outros dirigentes foram condenados neste sábado (19) a dois anos de prisão cada por terem abrigado dois repórteres procurados pela polícia, anunciou uma fonte judicial.

Kallache, o secretário-geral do sindicato, Gamal Abdelrahim, e o chefe da comissão de liberdade de imprensa, Khaled Elbalshy, estavam sendo julgados desde junho passado.

No início de maio, a polícia tinha detido na sede do sindicato dois repórteres acusados de "incitação ao protesto".

Os três homens foram condenados por ter dado abrigo a "fugitivos" e por ter divulgado informações "enganosas" sobre o procedimento policial que tinha terminado com a detenção dos jornalistas buscados.

Desde novembro de 2013, uma lei proíbe qualquer reunião no Egito não autorizada pelo Ministério do Interior.

O tribunal estabeleceu uma fiança de 10.000 libras egípcias (580 euros) para cada, que eles deverão pagar para permanecer em liberdade, antes de apresentar qualquer recurso.

Em 1º de maio, a polícia forçou a entrada da sede do sindicato de jornalistas para deter dois repórteres, Amro Badr e Mahmud Saqqa, que trabalhavam para um site crítico ao presidente Abdel Fattah al-Sissi, e que foram acusados de incitar protestos.

Eles foram libertados no final de agosto, e as acusações contra eles foram retiradas.

A detenções levaram a protestos de jornalistas denunciando "um declínio" da liberdade de imprensa desde a chegada ao poder de presidente Sissi.

Este caso foi qualificado pela União Europeia de "inquietante" para a liberdade de expressão e para a liberdade de imprensa no Egito.

Veja também

Após morte de George Floyd, capas de revistas com negros disparam
EUA

Após morte de George Floyd, capas de revistas com negros disparam

Pandemia implode sistema de testes, e Alemanha e França reimpõem bloqueios
Coronavírus

Pandemia implode sistema de testes, e Alemanha e França reimpõem bloqueios