A-A+

Emigrantes venezuelanos regressam ao país em avião enviado por Maduro

No sentido inverso da avalanche de venezuelanos que cruzaram a fronteira peruana nas últimas semanas, estes 97 emigrantes arrependidos, entre eles 22 crianças, estavam felizes em pegar o avião de regresso à pátria

Migração na VenezuelaMigração na Venezuela - Foto: Teo Bizca / AFP

Um avião enviado por determinação do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, partiu nesta segunda-feira de Lima com cerca de 100 emigrantes venezuelanos que optaram por voltar a seu país diante das dificuldades que enfrentavam no Peru. No sentido inverso da avalanche de venezuelanos que cruzaram a fronteira peruana nas últimas semanas, estes 97 emigrantes arrependidos, entre eles 22 crianças, estavam felizes em pegar o avião de regresso à pátria, apesar da severa crise política e econômica que atinge a Venezuela.

Leia também
Interiorização levará venezuelanos a São Paulo, Paraíba e Amazonas
Belém confirma sarampo como causa de morte de bebê venezuelano
Governo não fechará fronteira com Venezuela, diz Temer



"Obrigado aos amigos que me enviaram um email sobre como o presidente Maduro havia criado o plano 'volte à pátria'". "Fui à embaixada (venezuelana) e me receberam bem", disse à reportagem Miguel Materano, 42 anos, antes de subir no avião da companhia estatal Conviasa.

"Vou procurar um trabalho lá (na Venezuela), o governo prometeu nos ajudar", revelou Materano, que decidiu voltar diante da "má situação aqui no Peru e da xenofobia" com os emigrantes venezuelanos. Katiuska Anselmo justificou a decisão porque não tem com quem deixar os filhos, enquanto Yusmari Arrais não encontra trabalho porque está grávida.

Ao menos 500 mil venezuelanos chegaram ao Peru nos últimos meses, e no sábado passado Lima passou a exigir a apresentação de passaporte para que entrem no país, exceto para os que pedem refúgio ao chegar à fronteira. O pedido de refúgio permite aos venezuelanos permanecer legalmente no Peru e conseguir emprego, enquanto buscam uma solução definitiva para sua situação.

"Não há a menor sombra de dúvida de que este voo (...) faz parte de um plano político dirigido pelo próprio Nicolás Maduro, que busca desacreditar a diáspora venezuelana no Peru", disse à reportagem Oscar Pérez, que lidera uma associação de imigrantes venezuelanos em Lima.

Na sexta-feira, o ministro venezuelano da Comunicação, Jorge Rodríguez, garantiu que seus compatriotas regressariam ao país após as recentes reformas econômicas adotadas por Maduro para lutar contra a hiperinflação, que este ano deve superar 1.000.000%, segundo o Fundo Monetário Internacional.

Ao menos 2,3 milhões de venezuelanos vivem no exterior (7,5% da população), incluindo mais de 1,6 milhão que saíram do país a partir de 2015, diante do recrudescimento da crise. Deste total, 90% se dirigiram a países da América Latina, segundo a agência da ONU para os refugiados (ACNUR) e a Organização para as Migrações(OIM).

Veja também

Avanço da lava do vulcão nas Ilhas Canárias provoca medo de gases tóxicos
Cumbre Vieja

Avanço da lava do vulcão causa temor de gases tóxicos

Portugal não aceita certificado de vacinação do Brasil, diz embaixador
Brasil e Portugal

Portugal não aceita certificado de vacinação do Brasil, diz embaixador