Erdogan é reeleito presidente da Turquia para mandato com poderes reforçados

"A vencedora destas eleições é a democracia, a vontade nacional. O vencedor destas eleições é cada um dos 81 milhões de nossos concidadãos", exclamou Erdogan entre vivas de seus simpatizantes

Recep Tayyip Erdogan continua no poder na Turquia após vencer mais uma eleição. Na foto, ele está ao lado da esposa, Emine Erdogan.Recep Tayyip Erdogan continua no poder na Turquia após vencer mais uma eleição. Na foto, ele está ao lado da esposa, Emine Erdogan. - Foto: Adem Altan/AFP

O chefe de Estado da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, foi reeleito no primeiro turno, nesse domingo (24), para um novo mandato com poderes reforçados, impondo-se a uma oposição unida nestas eleições presidenciais e legislativas, muito disputadas. Erdogan, no poder há 15 anos, reeleito para um novo mandato de cinco anos, saboreou a vitória, dirigindo-se a milhares de simpatizantes reunidos em Ancara na madrugada de segunda-feira (25) em frente à sede do seu partido, o islamita-conservador AKP.

"A vencedora destas eleições é a democracia, a vontade nacional. O vencedor destas eleições é cada um dos 81 milhões de nossos concidadãos", exclamou Erdogan entre vivas de seus simpatizantes. 

Leia também:
Em meio à crise, Erdogan diz para muçulmanos protegerem Jerusalém
Turquia ordena demissão de mais de 2.700 funcionários públicos


As autoridades eleitorais turcas informaram na madrugada desta segunda-feira (noite de domingo no Brasil) que Erdogan havia obtido a maioria absoluta dos votos apurados, sendo eleito no primeiro turno ante uma oposição feroz e unida, com o líder social-democrata Muharrem Ince na liderança.

Desde que o AKP chegou ao poder em 2002, Erdogan destacou-se como o dirigente turco mais poderoso depois do fundador da república, Mustafa Kemal, transformando o país com megaprojetos de infraestrutura e reformas sociais, liberando a expressão religiosa, e transformando Ancara em ator-chave da diplomacia.

Seus críticos acusam o "rais", de 64 anos, de seguir uma orientação autocrática, particularmente desde a tentativa de golpe de julho de 2016, que foi seguida de uma onda de repressão sem piedade contra opositores e jornalistas e tensionou as relações entre Ancara e o Ocidente.

Sua vitória nas eleições deste domingo consolidou ainda mais seu poder, pois a votação marca a passagem do atual sistema parlamentar para um regime presidencialista em que o chefe de Estado concentra a totalidade do poder Executivo, conforme se decidiu em um referendo no ano passado.

Segundo a agência estatal de notícias Anadolu, Erdogan teria vencido as eleições com 52,5% dos votos, apuradas mais de 99% dos votos, e a aliança dominada pelo AKP teria obtido 53,61% dos votos nas legislativas.

Veja também

Pandemia desacelera, mas EUA não se dispõe a abrir fronteiras como a UE
Internacional

Pandemia desacelera, mas EUA não se dispõe a abrir fronteiras como a UE

Itália suspenderá obrigatoriedade das máscaras ao ar livre em 28 de junho
Europa

Itália suspenderá obrigatoriedade das máscaras ao ar livre em 28 de junho