A-A+

Espanha desmantela rede de pedofilia global

Na Espanha, além de 17 detidos, outras nove pessoas estão sendo investigadas

Pedófilos procuram por informações pessoais que jovens compartilham na internet Pedófilos procuram por informações pessoais que jovens compartilham na internet  - Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

Dezessete pessoas, a maioria adolescentes, foram presas na Espanha por compartilhar imagens de “extrema violência” envolvendo pornografia infantil no WhatsApp, informou nesta terça-feira a polícia, concluindo assim uma investigação de dois anos em três continentes.

Trata-se de uma operação internacional liderada pela polícia espanhola que envolveu um total de 33 detenções em 11 países diferentes, incluindo quatro no Equador e duas na Costa Rica, Uruguai e Peru, respectivamente.

Na Espanha, além dos 17 detidos, outras nove pessoas estão sendo investigadas. Do total de envolvidos, “14 deles são menores”, afirmou o comunicado da polícia.

“A maioria dos detidos é menor e o mais jovem tem apenas 15 anos", disse à AFP o porta-voz do corpo, Eduardo Casas.

Leia também:
Luta contra feminicídios, um modelo questionado pela extrema direita na Espanha
Facebook barra envios em massa no WhatsApp na eleição da Espanha


A polícia os acusa de armazenar e compartilhar arquivos pornográficos que, em alguns casos, envolveram abuso e estupro de crianças muito pequenas, “de bebês de apenas alguns meses a crianças de 11 ou 12 anos”, afirmou o porta-voz.

Os membros até criaram “figurinhas” – pequenas imagens digitais semelhantes a emoticons que podem ser facilmente compartilhadas online – mostrando “menores muito jovens abusados sexualmente”, relatou o texto.

Um homem de 29 anos foi preso não apenas por baixar o material pedófilo, mas também por pedir a outros usuários “contatos de meninas menores para assediar e obter material, prometendo trocar contatos” de outras meninas, segundo o comunicado.

Além das prisões na Espanha e na América Latina, o restante ocorreu na Itália, França, Reino Unido, Índia, Paquistão e Síria (um em cada país).

Veja também

43 países pedem à China que respeite direitos dos uigures
ONU

43 países pedem à China que respeite direitos dos uigures

Incêndio em fábrica de explosivos deixa 15 mortos na Rússia
Rússia

Incêndio em fábrica de explosivos deixa 15 mortos na Rússia