Estados Unidos mantém acusações a Rússia sobre armas químicas na Síria

O Kremlin reagiu qualificando as acusações de Washington de grosseiras

Secretário de Estado dos EUA, Rex TillersonSecretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson - Foto: Toby Melville / AFP

O secretário de Estado americano, Rex Tillerson, reiterou, neste sábado (27) em Varsóvia, suas acusações contra a Rússia em relação aos ataques com armas químicas na Síria, que Moscou desmente.

"Em relação às minhas afirmações sobre a Rússia e o uso de armas químicas na Síria, mantenho minhas observações", disse Tillerson em uma coletiva de imprensa junto ao seu homólogo polonês, Jacek Czaputowicz.

Leia também:
Potências mundiais se reúnem em Paris contra uso de armas químicas na Síria
Jornalista russa crítica ao Kremlin é esfaqueada


Tillerson havia formulado estas acusações na terça-feira (23) em Paris, em uma reunião internacional destinada a sancionar os responsáveis pelos ataques químicos na Síria. O Kremlin reagiu no dia seguinte, qualificando as acusações de Washington de "grosseiras". Tillerson ainda disse que "nas últimas 44 a 48 horas houve informações de imprensa de fonte transparente sobre o uso de cloro como arma na Síria".

Estes ataques "violam todas as convenções que a Rússia assinou", continuou, acrescentando que este país, "aliado de Assad", tem a responsabilidade de reagir. Tillerson chegou na sexta-feira a Varsóvia, parada final da sua viagem pela Europa.

Veja também

Primeiros sinais de gravidade da ômicron são 'encorajadores', diz conselheiro da Casa BrancaCoronavírus

Primeiros sinais de gravidade da ômicron são 'encorajadores', diz conselheiro da Casa Branca

Reino Unido exige teste negativo a viajantes devido à variante ômicronCoronavírus

Reino Unido exige teste negativo a viajantes devido à variante ômicron