EUA cancelam suspensão de 60 mil vistos feita após decreto de Trump

A medida é consequência de uma liminar que bloqueou a aplicação do decreto de Trump

Os Estados Unidos cancelaram neste sábado (4) a suspensão de cerca de 60 mil vistos feita após o presidente Donald Trump assinar um decreto para restringir a imigração ao país.

A medida é consequência de uma liminar (decisão provisória) que bloqueou a aplicação do decreto de Trump, dada pelo Tribunal Federal de Seattle na sexta-feira (3).

"Revertemos o cancelamento provisório dos vistos", disse um porta-voz do Departamento de Estado em um comunicado.

O governo americano havia suspendido cerca de 60 mil vistos de entrada nos EUA após a aplicação de uma ordem executiva de Trump que restringiu o acesso ao país de cidadãos de sete países de maioria muçulmana (Iêmen, Irã, Iraque, Líbia, Síria, Somália e Sudão).

"Os indivíduos que tem vistos que não foram fisicamente cancelados podem viajar agora se seu visto estiver válido", acrescentou o comunicado.

"Os agentes do Departamento de Segurança Interna voltarão a inspecionar passageiros de acordo com a política padrão", disse o órgão, responsável pelo controle de fronteiras.

A Casa Branca disse acreditar que o decreto é "legal e apropriado" e recorreu na Justiça contra a suspensão.

"A decisão deste chamado juiz, que essencialmente tira do nosso país o cumprimento da lei, é ridícula e será derrubada", disse Trump em uma rede social.

Após a decisão judicial, companhias aéreas voltaram a aceitar passageiros nascidos nos países incluídos no decreto de Trump em voos para solo americano.

Veja também

Organizadores de ato que terminou com invasão do Capitólio trabalharam para campanha de Trump
EUA

Organizadores de ato que terminou com invasão do Capitólio trabalharam para campanha de Trump

Biden turbina auxílio emergencial para enfrentar crise de fome agravada pela Covid-19
EUA

Biden turbina auxílio emergencial para enfrentar crise de fome agravada pela Covid-19