ORIENTE MÉDIO

EUA e Israel se “estranham”

Em um longo discurso no qual ofereceu sua “visão franca” sobre o conflito no Oriente Médio, Kerry assinalou que Israel está a caminho de uma “ocupação perpétua” da terra palestina

Deputado federal Augusto Coutinho (SD), em entrevista à Rádio Folha.Deputado federal Augusto Coutinho (SD), em entrevista à Rádio Folha. - Foto: Arthur Mota / Folha de Pernambuco

 

O secretário americano de Estado, John Kerry, defendeu novamente ontem a solução de dois Estados como “único caminho” para a paz entre israelenses e palestinos, em um discurso que Tel Aviv denunciou como “tendencioso”.  Em um longo discurso no qual ofereceu sua “visão franca” sobre o conflito no Oriente Médio, Kerry assinalou que Israel está a caminho de uma “ocupação perpétua” da terra palestina.

Ao explicar a decisão dos Estados Unidos de não vetar a resolução do Conselho de Segurança das ONU que condenou os assentamentos israelenses, Kerry disse que “o voto era para preservar a solução de dois Estados”.
Segundo ele, a política de assentamentos impede qualquer processo de paz com os palestinos. “A política de assentamentos está definindo o futuro em Israel”. Logo após as declarações de Kerry, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, denunciou o discurso “tendencioso” contra Israel. “Assim como a resolução do Conselho de Segurança, seu discurso dessa noite foi tendencioso contra Israel”. Netanyahu acusou o secretário de Estado de estar “mais preocupado com as colônias do que com o terrorismo”.
Em meio à polêmica, o presidente palestino, Mahmud Abbas, disse que está disposto a retomar as negociações de paz assim que o governo israelense cesse a colonização nos territórios ocupados.
Ao menos 430 mil colonos israelenses vivem atualmente na Cisjordânia ocupada, sendo mais de 200 mil em Jerusalém oriental, onde os palestinos querem instalar a capital de seu futuro Estado.

 

Veja também

Conservadores britânicos sofrem revés nas eleições locais
Londres

Conservadores britânicos sofrem revés nas eleições locais

Gallup: Aprovação de Biden atinge menor nível entre presidentes na série histórica, em 38,7%
ELEIÇÕES EUA

Gallup: Aprovação de Biden atinge menor nível entre presidentes na série histórica, em 38,7%

Newsletter