EUA e talibãs assinam acordo e tropas devem deixar o Afeganistão

Essa retirada fica, no entanto, pendente do respeito dos talibãs pelo acordo e do seu compromisso de combater o terrorismo

No Afeganistão, cidade de Jalalabad sofre ataque do Estado IslâmicoNo Afeganistão, cidade de Jalalabad sofre ataque do Estado Islâmico - Foto: Noorullah Shirzada/AFP

Os Estados Unidos e os representantes dos talibãs assinaram hoje (29), no Qatar, um acordo de paz histórico para o Afeganistão. Este pode ser o ponto final num conflito que já dura há 18 anos.

Para além do fim dos combates, durante os próximos 14 meses será concluída a retirada dos soldados da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e dos Estados Unidos.

Leia também:
Tribunal dos EUA barra programa de Trump contra imigração irregular
Dois soldados dos EUA morrem em ataque talibã no Sul do Afeganistão


Essa retirada fica, no entanto, pendente do respeito dos talibãs pelo acordo e do seu compromisso de combater o terrorismo. O secretário da Defesa americano, Mark Esper, afirmou que os Estados Unidos "não hesitarão em anular o acordo" se este for desrespeitado.

A assinatura do documento ocorre uma semana depois de a coligação internacional - liderada pelos Estados Unidos - e os talibãs se comprometerem a reduzir a violência na região.

Veja também

Maior ataque suicida em Bagdá em três anos mata ao menos 32 pessoas
Terrorismo

Maior ataque suicida em Bagdá em três anos mata ao menos 32 pessoas

Biden assume comando da luta contra Covid-19 e decreta quarentena para viajantes
EUA

Biden assume comando da luta contra Covid-19 e decreta quarentena para viajantes