EUA reportam primeira morte no país pelo novo coronavírus

Morte foi registrada em King County, no estado de Washington, próximo a Seattle, onde vivem 700 mil pessoas. A pessoa que morreu foi um paciente no hospital da organização em Kirkland, Washington, segundo o jornal The New York Times

CoronavírusCoronavírus - Foto: Divulgação/Josué Damacena (IOC/Fiocruz

Autoridades de saúde dos EUA afirmam que o país teve a primeira morte de paciente por causa do novo coronavírus, em King County, no estado de Washington, próximo a Seattle, onde vivem 700 mil pessoas.

Kay Taylor, porta-voz da EvergreenHealth, disse que a pessoa que morreu foi um paciente no hospital da organização em Kirkland, Washington, informa o jornal The New York Times.

Lisa Stromme Warren, porta-voz do Departamento de Saúde do Estado de Washington, confirmou a morte.

Leia também:
Genoma do coronavírus que infectou brasileiro é sequenciado
Álcool em gel é eficaz na prevenção ao coronavírus, afirma Conselho Federal de Química
Fake news atingem 85% das mensagens sobre coronavírus checadas pelo Ministério da Saúde


"É um dia triste em nosso estado, ao sabermos que um Washingtonian morreu de Covid-19", disse o governador de Washington, Jay Inslee. "Nossos corações estão com sua família e amigos. Continuaremos trabalhando para um dia em que ninguém morra com esse vírus".

Washington também teve o primeiro caso nos EUA, uma viajante que retornou da China, de cerca de 50 anos. Essa pessoa se recuperou e foi liberada do monitoramento. Nos EUA, mais de 60 pessoas estão infectadas com o vírus, em sua maioria passageiros do cruzeiro Diamond Princess.

Na tarde deste sábado (29), o presidente Donald Trump autorizou novas restrições para viajantes provenientes do Irã e uma triagem adicional para aqueles provenientes da Coreia do Sul, que teve um boom de casos, e da Itália.

Trump disse que é provável que haja outros casos de coronavírus nos EUA mas que o país está preparado para qualquer circunstância.

O presidente americano afirmou também que se reuniria com empresas farmacêuticas na segunda (2) para discutir vacinas. A disseminação global da doença levou os Estados Unidos a considerar a possibilidade de impor restrições de entrada na fronteira EUA-México, mas, segundo Trump, essa não é uma preocupação para este momento.

Segundo os CDC (Centros de Controle de Doenças), a recomendação é continuar com a vida normal, já que o risco de se adquirir a infecção é baixo. Além disso, apenas entre 15% e 20% dos afetados necessitam de maiores cuidados de saúde.

No Equador, foi anunciada a primeira detecção de um caso de coronavírus, de uma mulher que esteve na Espanha. O México foi o segundo país da América Latina a computar casos.

Na Itália, um dos pontos onde a epidemia tem mais força, já há 1.000 casos da doença e 29 mortes. Na França, o número de afetados subiu para 100.

A epidemia, que tem como foco a cidade de Wuhan, na China, já atingiu quase 86.000 pessoas e matou mais de 2.900.

Veja também

Índia vai exportar doses de vacina para Brasil nesta sexta-feira (22)
Covid-19

Índia vai exportar doses de vacina para Brasil nesta sexta-feira (22)

Mais de 30 mortos em duplo atentado suicida em Bagdá
ATAQUE

Mais de 30 mortos em duplo atentado suicida em Bagdá