ONU

EUA se abstêm pela 1ª vez contra embargo a Cuba

Durante décadas, a ONU condenou todos os anos o embargo a Cuba, com o voto contrário de Washington

Sílvio Costa e João da Costa em encontro neste domingo (20)Sílvio Costa e João da Costa em encontro neste domingo (20) - Foto: Divulgação

 

Pela primeira vez em 25 anos, a diplomacia dos Estados Unidos se absteve de votar sobre uma resolução da ONU que pede o fim do embargo norte-americano a Cuba. Esta foi a 25ª vez que a resolução apresentada por Cuba foi aprovada, mas agora a mesma teve o voto favorável de 191 dos 193 países que a integram. Israel também se absteve de votar.

A decisão dos EUA de mudar seu voto segue uma série de medidas do governo de Barack Obama para restaurar as relações diplomáticas do país com Cuba. Ele já falou publicamente contra o embargo, que é mantido pelo Congresso.

“Os Estados Unidos sempre votaram contra esta resolução. Nesta quarta-feira (26), os Estados Unidos se absterão”, anunciou momentos antes a embaixadora americana na ONU, Samantha Power.

Durante décadas, a ONU condenou todos os anos o embargo a Cuba, com o voto contrário de Washington. Power afirmou que “a política americana de isolamento a Cuba não funcionou (...) Ao invés de isolar Cuba (...), nossa política isolou os Estados Unidos, inclusive aqui, na ONU”.

A abstenção americana “não quer dizer que os EUA estejam de acordo com todas as políticas e todas as práticas do governo cubano”, afirmou Power. “Estamos muito preocupados com as graves violações dos direitos humanos que o governo cubano continua cometendo impunemente contra seu próprio povo”, destacou.

 

Veja também

Alemanha fecha restaurantes, setor cultural e de lazer a partir segunda-feira
Coronavírus

Alemanha fecha restaurantes, setor cultural e de lazer a partir segunda-feira

Líder de seita de escravas sexuais é condenado a 120 anos de prisão
EUA

Líder de seita de escravas sexuais é condenado a 120 anos de prisão