Eurocâmara proíbe acesso de autoridade do governo sírio

O ataque químico atribuído ao regime sírio ocorrido na localidade de Jan Sheijun, que deixou ao menos 86 mortos

Bandeiras da UE e Reino UnidoBandeiras da UE e Reino Unido - Foto: AFP

O presidente da Eurocâmara, Antonio Tajani, proibiu o acesso de uma autoridade do governo sírio a uma conferência organizada pelo eurodeputado espanhol Javier Couso para o dia 10 de abril, de acordo com um documento analisado nesta sexta-feira (7) pela AFP.

"Após o uso recente de armas químicas e os acontecimentos posteriores, decidi não autorizar esse evento" e, "por motivos de segurança, também decidi não autorizar o vice-chanceler sírio Ayman Soussan a ter acesso à Eurocâmara", declara Tajani em mensagem enviada ao organizador do evento.

Conforme a mensagem, o parlamentar espanhol do grupo da esquerda europeia tinha organizado para a próxima segunda-feira (10) uma conferência no Parlamento Europeu sobre a situação na Síria.

Este evento aconteceria dias depois do ataque químico atribuído ao regime sírio ocorrido na localidade de Jan Sheijun, que deixou ao menos 86 mortos, incluindo 27 crianças, além do bombardeio americano à base de onde partiram os aviões do primeiro ataque.

"Tomei essa decisão porque politicamente é inoportuno organizar essa conferência", ressaltou o presidente da Eurocâmara em seu comunicado.

Veja também

Washington reforça segurança por risco de violência antes da posse de Biden
Mundo

Washington reforça segurança por risco de violência antes da posse de Biden

Turba que tomou Capitólio pretendia 'capturar e assassinar' legisladores
EUA

Turba pretendia 'capturar e assassinar' legisladores