ESTADO ISLÂMICO

Europol faz alerta para carros-bomba

Até o momento, os ataques jihadistas contra países europeus não recorreram a “artefatos explosivos improvisados, de fabricação caseira, comercial ou militar, colocados em veículos”, como na Síria ou Iraque, indica a agência policial europeia em um relat

O futuro ministro-chefe da Casa Civil, Onyx LorenzoniO futuro ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni - Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

HAIA (AFP) - As redes extremistas como o grupo Estado Islâmico (EI) estão mudando de táticas e poderiam recorrer a carros-bomba para atacar objetivos frágeis na Europa, adverte a Europol.
Até o momento, os ataques jihadistas contra países europeus não recorreram a “artefatos explosivos improvisados, de fabricação caseira, comercial ou militar, colocados em veículos”, como na Síria ou Iraque, indica a agência policial europeia em um relatório publicado em Haia.
Mas, acrescenta o documento, “pelo fato de que o ‘modus operandi’ usado no Oriente Médio tende a ser copiado por terroristas que operam na Europa, é concebível que em determinado ponto os grupos extremistas usem estes meios”.
O grupo, responsável pelos ataques em Paris no ano passado e em Bruxelas em março pretendia utilizar este tipo de artefato, mas medidas da polícia forçaram uma mudança de planos, afirma o documento.
Em novembro de 2015, os extremistas mataram 130 pessoas em Paris. Em março, 32 morreram em Bruxelas.
O relatório de 14 páginas é uma atualização dos métodos e táticas usadas pelo EI. O texto adverte para a preocupação dos especialistas com a possibilidade da Líbia virar a segunda base de operações do Estado Islâmico - depois da Síria -, para atacar a Europa e o Norte da África.

Veja também

Brasileira está entre as vítimas de atentado na França, informa Itamaraty
internacional

Brasileira está entre as vítimas de atentado na França

Glenn Greenwald acusa Intercept de censura e anuncia saída do site
censura

Glenn Greenwald acusa Intercept de censura e anuncia saída do site