Ex-magistrado, crítico de Maduro, deserta e vai para os EUA

Christian Zerpa é acusado pela Justiça venezuelana de assédio sexual, atos lascivos e violência psicológica.

Presidente da Venezuela, Nicolás MaduroPresidente da Venezuela, Nicolás Maduro - Foto: Angela Weiss/AFP

O ex-magistrado Christian Zerpa desertou da Venezuela para os Estados Unidos. Ele pertencia ao Supremo Tribunal de Justiça (STJ) e era crítico do governo do presidente Nicolás Maduro. Zerpa é acusado pela Justiça de assédio sexual, atos lascivos e violência psicológica.

O presidente do STJ, Maikel Moreno, disse que Zerpa deixou a Venezuela para tentar escapar do julgamento. Porém, nos Estados Unidos, o ex-magistrado afirmou que fugiu por discordar da reeleição da Maduro, que toma posse no próximo dia 10, e que, como ele, há vários juízes.

Leia também:
Parlamento venezuelano declara novo mandato de Maduro ilegítimo
Venezuela acusa Grupo de Lima de incentivar golpe de Estado com apoio dos EUA
Maduro e cubano são desconvidados de posse


De acordo com Moreno, Zerpa estava sob investigação desde 23 de novembro do ano passado. Moreno disse que a apuração começou no Conselho do Supremo Tribunal, que encaminhou a ação para o Conselho Moral Republicano.

Moreno disse que Zerpa fugiu da Venezuela usando sua prerrogativa constitucional para evitar o julgamento.

Veja também

Janet Yellen é confirmada como primeira secretária do Tesouro americano
EUA

Janet Yellen é confirmada como primeira secretária do Tesouro americano

Biden prevê atrasos nas negociações de ajuda financeira para a pandemia
EUA

Biden prevê atrasos nas negociações de ajuda financeira para a pandemia