Exército do Iraque descobre cem corpos em vala perto de Mossul

Maioria dos corpos foi encontrada em decomposição e não foi possível identificar se eram de civis ou soldados

Vereador Wanderson Florêncio (PSC) deve homenagear Alceu Valença antes de assumir o mandato de deputado estadual em 2019 na AlepeVereador Wanderson Florêncio (PSC) deve homenagear Alceu Valença antes de assumir o mandato de deputado estadual em 2019 na Alepe - Foto: Aguinaldo Leonel Jr./Divulgação

O Exército iraquiano descobriu nesta segunda-feira (7) uma vala comum com cerca de cem corpos decapitados ao sul da cidade de Mossul, bastião da facção terrorista Estado Islâmico (EI).

Segundo o porta-voz Yahya Rasul, a vala foi encontrada perto da vila de Hamam al-Alil, a cerca de 32 quilômetros ao sul de Mossul.

A maioria dos corpos foi encontrada em decomposição e não foi possível identificar, pelas roupas, se eram de civis ou soldados.

Um time de especialistas de Bagdá deve analisar a cova a partir de terça (8).

Ao longo dos últimos anos, as autoridades iraquianas encontraram valas comuns usadas pelo EI. Desde que conquistou a região do norte do Iraque, em 2014, a facção realizou diversos massacres contra civis e combatentes, além de minorias étnicas e religiosas.

O governo do Iraque iniciou há três semanas uma operação militar para retomar Mossul das mãos dos extremistas do EI. A ofensiva sobre a cidade é considerada estratégica para enfraquecer a facção.

Nesta segunda, forças curdas avançaram sobre um reduto do EI ao nordeste de Mossul.

Teme-se que a batalha por Mossul deixe milhares de civis vulneráveis a deslocamentos forçados e a serem usados como escudos humanos pelos terroristas do EI.

Veja também

Antes de referendo, protestos marcam um ano de manifestações no Chile
Referendo

Protestos marcam um ano de manifestações no Chile

Projeções apontam vitória do candidato de Evo Morales no 1º turno na Bolívia
América Latina

Projeções apontam vitória do candidato de Evo Morales no 1º turno na Bolívia