Exército do Iraque descobre cem corpos em vala perto de Mossul

Maioria dos corpos foi encontrada em decomposição e não foi possível identificar se eram de civis ou soldados

Vereador Wanderson Florêncio (PSC) deve homenagear Alceu Valença antes de assumir o mandato de deputado estadual em 2019 na AlepeVereador Wanderson Florêncio (PSC) deve homenagear Alceu Valença antes de assumir o mandato de deputado estadual em 2019 na Alepe - Foto: Aguinaldo Leonel Jr./Divulgação

O Exército iraquiano descobriu nesta segunda-feira (7) uma vala comum com cerca de cem corpos decapitados ao sul da cidade de Mossul, bastião da facção terrorista Estado Islâmico (EI).

Segundo o porta-voz Yahya Rasul, a vala foi encontrada perto da vila de Hamam al-Alil, a cerca de 32 quilômetros ao sul de Mossul.

A maioria dos corpos foi encontrada em decomposição e não foi possível identificar, pelas roupas, se eram de civis ou soldados.

Um time de especialistas de Bagdá deve analisar a cova a partir de terça (8).

Ao longo dos últimos anos, as autoridades iraquianas encontraram valas comuns usadas pelo EI. Desde que conquistou a região do norte do Iraque, em 2014, a facção realizou diversos massacres contra civis e combatentes, além de minorias étnicas e religiosas.

O governo do Iraque iniciou há três semanas uma operação militar para retomar Mossul das mãos dos extremistas do EI. A ofensiva sobre a cidade é considerada estratégica para enfraquecer a facção.

Nesta segunda, forças curdas avançaram sobre um reduto do EI ao nordeste de Mossul.

Teme-se que a batalha por Mossul deixe milhares de civis vulneráveis a deslocamentos forçados e a serem usados como escudos humanos pelos terroristas do EI.

Veja também

Relatório do Congresso dos EUA vê risco à democracia e ao ambiente sob Bolsonaro
EUA

Relatório do Congresso dos EUA vê risco à democracia e ao ambiente sob Bolsonaro

Mundo supera 12 milhões de casos coronavírus
Coronavírus

Mundo supera 12 milhões de casos coronavírus