Explosão de carro-bomba do EI mata 60 e fere 100 no norte da Síria

Ataque foi provocado por uma camionete conduzida por um extremista, perto de um posto de segurança no vilarejo de Sousian

Escombros no vilarejo de Sousian, a cerca de oito quilômetros a noroeste de al-BabEscombros no vilarejo de Sousian, a cerca de oito quilômetros a noroeste de al-Bab - Foto: Nazeer al-Khatib/AFP

A explosão de um carro-bomba deixou ao menos 60 mortos e 100 feridos nesta sexta-feira (24) perto da cidade de al-Bab, no norte da Síria, retomada na véspera de extremistas do Estado Islâmico (EI) por rebeldes apoiados por tropas da Turquia, informou a agência de notícias estatal turca Anadolu.

Segundo representantes das facções rebeldes que atuam no local, o atentado foi ordenado pelo EI e ocorreu perto de um posto de segurança no vilarejo de Sousian, a cerca de oito quilômetros a noroeste de al-Bab.

A explosão, provocada por uma camionete conduzida por um extremista, aconteceu enquanto os rebeldes organizavam o retorno de civis que haviam sido deslocados pelos confrontos com a milícia radical. O EI controlava al-Bab desde 2013.

"Estas pessoas sofreram muito (...) foi muito difícil, elas vinham esperando por esse momento [de retorno]", disse à agência de notícias Associated Press o combatente rebelde Mohammed al-Tawil.

Ao menos dois soldados turcos morreram no ataque, disse o primeiro-ministro da Turquia, Binali Yildirim. A retomada de al-Bab é estratégica para avançar na batalha pela cidade de Raqqa, capital autodeclarada do EI na Síria.

Iniciada em março de 2011, a guerra civil na Síria opõe rebeldes armados a tropas do ditador Bashar al-Assad. O vácuo de poder abriu caminho para o fortalecimento do EI e de outras organizações terroristas.

O conflito já matou mais de 400 mil pessoas e forçou o deslocamento de milhões de pessoas.

Veja também

Joe Biden toma posse como 46º presidente dos Estados Unidos
Posse de Biden e Harris

Joe Biden toma posse como 46º presidente dos Estados Unidos

Nomeado de Biden a secretário de Estado apoia política de Trump na Venezuela
Política norte-americana

Nomeado de Biden a secretário de Estado apoia política de Trump na Venezuela