Filha de Fujimori expulsa irmão que se rebelou de partido no Peru

Kenji e seu grupo, auto-apelidados de "avengers" (vingadores), foram punidos por não apoiar Keiko

Keiko FujimoriKeiko Fujimori - Foto: Reprodução/ Wikipédia

O deputado Kenji Fujimori, filho do ex-presidente peruano Alberto Fujimori (1990-2000), foi expulso junto aos outros nove parlamentares fujimoristas "rebeldes", que votaram no último dia 21 de dezembro contra as ordens da líder do partido Força Popular, Keiko Fujimori (também filha do autocrata), impedindo a remoção do cargo do presidente Pedro Pablo Kuczynski.

Kenji e seu grupo, auto-apelidados de "avengers" (vingadores), foram punidos por não apoiar Keiko, que pediu a votação da moção de vacância do cargo de PPK, pedindo sua expulsão por conta de um suposto envolvimento do presidente peruano no escândalo da construtora brasileira Odebrecht.

Seu irmão, porém, vinha negociando havia meses, às escondidas, com o mandatário. A barganha consistia no apoio de Kenji e sua bancada a PPK -que vinha tendo várias dificuldades para governar e ministros removidos por conta da ação da maioria fujimorista no Congresso-, em troca de um indulto a Alberto Fujimori, preso desde 2009 e condenado a 25 anos de cadeia por abusos de direitos humanos e corrupção.

Leia também:
Fujimori agradece por indulto concedido pelo presidente do Peru
Presidente supera impeachment no Peru


Quando Kenji e o resto dos "avengers" se abstiveram da votação, salvando o posto de PPK, este retribuiu apenas três dias depois, na véspera de Natal, concedendo o indulto a Fujimori, por "razões humanitárias".

Com isso, a bancada da Força Popular perde força no Congresso, passando a ter 61 deputados. Por enquanto, Kenji e o resto dos "avengers" estudam se fundam um novo partido ou se vão se juntar a outro.

A disputa entre os irmãos divide o fujimorismo. Em uma pesquisa recente, 39% dos entrevistados dizia preferir Kenji a Keiko como candidato a presidente nas próximas eleições, e 31% ainda apostava na irmã mais velha, que também vem sendo acusada de ter recebido "caixa 2" da Odebrecht na campanha eleitoral de 2011.

Veja também

Poluição do ar provocou a morte de quase 500 mil recém-nascidos em 2019
Mundo

Poluição do ar provocou a morte de quase 500 mil recém-nascidos em 2019

Onze mulheres morrem em tumulto por vistos no Afeganistão
Mundo

Onze mulheres morrem em tumulto por vistos no Afeganistão