Mundo

Filhos serão 'demitidos' se não fizerem bom trabalho nos negócios, diz Trump

Presidente eleito vai transferir o comando de suas empresas para um truste comandado por seus filhos

Plenário da AlepePlenário da Alepe - Foto: Henrique Genecy/ Folha de Pernambuco

Na entrevista coletiva do presidente-eleito dos EUA, Donald Trump, o republicano deu detalhes de como vai se distanciar do comando de suas empresas, que serão geridas por dois de seus filhos, Eric e Donald Jr.

"Espero que daqui a alguns anos eu possa dizer: 'vejam só, vocês fizeram um bom trabalho'. Caso contrário, terei de dizer para eles: 'vocês estão demitidos'", disse o republicano, reproduzindo o bordão que utilizava quando apresentava o programa de TV "O Aprendiz".

A advogada dele, Sheri Dillon, detalhou as medidas que serão adotadas pelo presidente eleito.

Segundo a advogada, o presidente eleito vai transferir o comando de suas empresas para um truste comandado por seus filhos. Ele já havia prometido, em novembro, abandonar a liderança de seus negócios.

De acordo com Dillon, "nenhum novo negócio no exterior será feito durante a presidência" do republicano, que rejeitará presentes dados por governos estrangeiros. Possíveis lucros de sua rede hoteleira oriundos de governos estrangeiros serão "doados ao Tesouro americano".

A advogada afirmou que Trump não desinvestirá de seus negócios. "Não se deve esperar que [Trump] destrua a empresa que ele construiu", afirmou.

Desafetos do presidente eleito têm afirmado que os negócios de Trump podem gerar conflitos de interesse com a política externa de sua gestão. Fora dos EUA, o empresário tem ao menos 150 companhias em 25 países, segundo a emissora CNN.

Seus negócios variam desde campos de golfe a marcas de vestuário, passando por cassinos e hotéis que levam seu nome.

Segundo a revista "Forbes", Trump é dono de estimados US$ 3,7 bilhões (quase R$ 12 bilhões), fortuna que supera a soma patrimonial de seus 43 antecessores.

Veja também

Biden pede que americanos enfrentem 'lobby das armas'
Estados Unidos

Biden pede que americanos enfrentem 'lobby das armas'

China enfrenta novas denúncias de abusos, durante visita de comissária da ONU
Repressão a uigures

China enfrenta novas denúncias de abusos, durante visita de comissária da ONU