Flórida e mais 2 estados entram em emergência por tempestade Alberto

Alberto é a primeira tempestade de grande porte a atingir o país neste verão

O Centro Nacional de Furacões de Miami informou, na noite de ontem, que Alberto estava centrado sobre o Golfo do México, na Flórida, com ventos de até 70 quilômetros por hora (km/h)O Centro Nacional de Furacões de Miami informou, na noite de ontem, que Alberto estava centrado sobre o Golfo do México, na Flórida, com ventos de até 70 quilômetros por hora (km/h) - Foto: Reprodução/internet

Os estados norte-americanos do Alabama, da Flórida e do Mississipi declararam, nessa segunda-feira (28), estado de emergência por causa da chegada da tempestade subtropical Alberto. As fortes chuvas afetam também o oeste da Geórgia e a Carolina do Norte. Dois repórteres de uma emissora local da Carolina do Sul morreram por causa dos ventos trazidos pelo fenômeno, quando estavam em uma rodovia e uma árvore caiu sobre o carro em que viajavam. Alberto é a primeira tempestade de grande porte a atingir o país neste verão.

O Centro Nacional de Furacões de Miami informou, na noite de ontem, que Alberto estava centrado sobre o Golfo do México, na Flórida, com ventos de até 70 quilômetros por hora (km/h). A preocupação do governo local era com os moradores e visitantes que estavam deixando as praias do estado, após o feriado prolongado dessa segunda-feira (Memorial Day).

Na Flórida, pelo menos 2.600 moradores ficaram sem energia no noroeste do estado. A chuva e o vento já afetavam estados vizinhos no fim da tarde de ontem.

No Alabama, a governadora Kay Ivey pôs em alerta 40 condados. A Guarda Nacional do Estado está preparada para resgates em caso de inundações. Equipes de resgate também já estão de sobreaviso no Mississipi, segundo o governo local.

Temporada de furacões
A Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA, a sigla em inglês) divulgou, na semana passada, uma previsão de furacões para este ano. A estimativa é de 10 a 16 tempestades, com cinco a nove furacões.

Além disso, de acordo com a estimativa, um a quatro furacões poderão ser de grande porte, com ventos de até 170 km/h. Se as previsões forem confirmadas, segundo o órgão, a temporada de furações no Atlântico pode ser ainda mais intensa que a do ano passado.

Leia também:
Tempestades de areia e mau tempo na Índia matam 41 pessoas
Tempestade tropical já deixou 133 mortos no sul das Filipinas


Entre agosto e outubro de 2017, países do Caribe e do Sul dos Estados Unidos enfrentaram três furacões de grande porte: Harvey, Irma e Maria.

Cientistas divulgaram, no ano passado, um estudo em que relacionam o surgimento de furacões mais potentes às mudanças climáticas.

Comunidade brasileira
Neste mês de maio, o consulado brasileiro na Flórida apoiou o primeiro Seminário Preparatório para Situações de Emergência. O evento foi promovido pela Volunteer Emergency Relief (V.E.R.), em parceria com a Global Assistance Foundation. O objetivo foi preparar a comunidade brasileira para a temporada de furacões.

De acordo com comunicado publicado na página do consulado brasileiro em Miami, a iniciativa é resultado das experiências que ambas as organizações vivenciaram “antes, durante e depois” da passagem dos furacões que atingiram a Flórida e Porto Rico no ano passado.

A comunidade brasileira na Flórida é formada por mais de 300 mil pessoas, segundo levantamento do consulado. Estimativas informais de comerciantes locais falam em 500 mil brasileiros no estado. Além disso, a Flórida é um dos destinos dos Estados Unidos mais visitados por turistas procedentes do Brasil.

Veja também

Misterioso 'poço do inferno' no Iêmen impressiona geólogos
Curiosidade

Misterioso 'poço do inferno' no Iêmen impressiona geólogos

Variante delta já é responsável por mais de 60% dos casos em Lisboa
Coronavírus

Variante delta já é responsável por mais de 60% dos casos em Lisboa