[Fotos] ONU confirma novos combates em cidade Síria apesar da trégua

"Constatamos que os combates continuam enquanto falamos, o que torna impossível enviar ajuda", afirmou porta-voz

Ataques continuam em reduto rebelde na SíriaAtaques continuam em reduto rebelde na Síria - Foto: Abdulmonam Eassa/AFP

A Organização das Nações Unidas (ONU) confirmou nesta terça-feira (27) que os combates prosseguem no reduto rebelde sírio de Ghuta Oriental, perto de Damasco, apesar da trégua humanitária de cinco horas decretada na segunda-feira pela Rússia, aliada do regime de Bashar al-Assad.

"Constatamos que os combates continuam enquanto falamos, o que torna impossível enviar ajuda", afirmou Jens Laerke, porta-voz do Escritório para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) das Nações Unidas em Genebra. A agência oficial Sana informou que foguetes foram lançados pelos rebeldes contra os corredores humanitários perto de Al-Rafidain para impedir a saída dos civis da região.

Leia também:
Após ONU aprovar cessar-fogo, sete pessoas morrem na síria
Homem abraça filho morto em em meio a bombardeios na Síria


Uma trégua humanitária diária de cinco horas decidida pela Rússia, aliada do governo de Bashar al-Assad, deveria entrar em vigor nesta terça-feira na Síria, em particular no reduto rebelde de Ghuta Oriental, área sitiada pelo exército governamental e submetida a intensos bombardeios que mataram mais de 560 civis em nove dias.

Moradores de Ghuta Oriental, último reduto rebelde nas proximidades de Damasco, afirmavam antes mesmo dos novos ataques que a trégua é puro teatro. "Esta trégua é uma farsa. A Rússia nos mata diariamente e nos bombardeia todos os dias", afirmou Samer al-Buydani, morador da cidade de Duma.

"Não tenho confiança para sair com minha família de Ghuta Oriental através dos corredores humanitários", disse. "Se aceitar que tenho que sair, serei colocado imediatamente no exército para lutar contra outros sírios", afirmou Al-Buydani.

Veja também

Quase 40% das plantas estão ameaçadas de extinção, mostra pesquisa
Meio Ambiente

Quase 40% das plantas estão ameaçadas de extinção, mostra pesquisa

Disney corta 28.000 empregos nos EUA por causa da pandemia
EUA

Disney corta 28.000 empregos nos EUA por causa da pandemia