França pede anulação do decreto anti-imigração de Trump

Decreto do presidente americano, Donald Trump, proíbe a entrada nos Estados Unidos de cidadãos de sete países muçulmanos

Protesto contra medidas anti-imigrantes de Donald TrumpProtesto contra medidas anti-imigrantes de Donald Trump - Foto: Spencer Platt/Getty Images/AFP

O ministro francês de Relações Exteriores, Jean-Marc Ayrault, pediu nesta segunda-feira (30) a anulação do decreto do presidente americano, Donald Trump, que proíbe a entrada nos Estados Unidos de cidadãos de sete países muçulmanos.

"Acho que seria de bom senso" anular esta decisão, declarou Ayrault durante uma visita a Teerã, denunciando uma situação "inaceitável e muito prejudicial para as pessoas afetadas". O Irã é um dos países vetados.

"Penso nos binacionais, franco-iranianos, irano-americanos, que se veem atingidos por essa situação. É um choque para eles, como uma ferida", declarou Ayrault à imprensa.

A decisão de Trump, que desatou uma onda de indignação no mundo, é "unilateral, surpreendente e brutal", declarou o ministro francês, que exigiu um "esclarecimento" rápido de parte da administração dos Estados Unidos.

O polêmico decreto veta a entrada nos Estados Unidos durante 90 dias aos cidadãos de sete países da maioria muçulmana considerados por Washington focos de terrorismo: Irã, Iraque, Síria, Somália, Sudão, Líbia e Iêmen.

Veja também

Alemanha vai adotar tratamento experimental usado por Trump
Coronavírus

Alemanha vai adotar tratamento experimental usado por Trump

EUA supera 25 milhões de casos de Covid-19
Coronavírus

EUA supera 25 milhões de casos de Covid-19