França pede reunião de urgência do Conselho da ONU sobre a Síria

Jean-Yves Le Drian pede às autoridades turcas que atuem com precaução em contexto difícil, no qual a situação humanitária se deteriora em várias regiões da Síria

Jean-Yves Le Drian, chefe da diplomaciaJean-Yves Le Drian, chefe da diplomacia - Foto: Reprodução/Twitter

A França pediu neste domingo (21) uma reunião urgente do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre a situação na Síria, especialmente no enclave curdo-sírio de Afrin, onde soldados turcos entraram para apoiar o avanço sobre o terreno de facções rebeldes sírias. A informação é da Agência EFE.

"Ghouta, Idlib, Afrin - a França pede uma reunião urgente do Conselho de Segurança da Nações Unidas. Reunião de manhã com o meu colega turco", disse no Twitter o chefe da diplomacia, Jean-Yves Le Drian. O ministro francês de Relações Exteriores também fez uma chamada a favor de um cessar-fogo e de um "acesso humanitário incondicional" à área.

A França, acrescentou Le Drian posteriormente em um comunicado, "pede às autoridades turcas que atuem com precaução em um contexto difícil, no qual a situação humanitária se deteriora em várias regiões da Síria como consequência das operações militares empreendidas pelo regime de Damasco e seus aliados".

Leia também:
Explosão em base jihadista na Síria deixa 23 mortos
Bombardeios matam 17 civis na região síria de Guta Oriental


Sobre a conversa telefônica com Mevlüt Çavusoglu, o ministro lembrou "a importância de criar sobre o terreno as condições necessárias para a estabilização da Síria e uma solução política duradoura", única maneira "de garantir a segurança da população síria e de seus vizinhos".

Nesse contexto, a França insistiu que todas as partes devem respeitar o direito humanitário e condenou, "com a maior firmeza, os bombardeios indiscriminados feitos nas últimas semanas por parte do regime sírio na província de Idlib, principalmente em áreas habitadas e infraestruturas médicas".

O país solicitou "sem demora" um acesso humanitário na região de Ghouta Oriental, no leste de Damasco, "onde 400 mil civis sitiados estão em situação crítica". "A França pede às potências fiadoras do acordo de Astana que garantam o respeito nas áreas estabelecidas nesse marco em Idlib, no norte da província de Homs, em Ghouta, no sudoeste" e, "perante os recentes eventos", exigiu essa reunião urgente do conselho.

Controle de povoado
As tropas turcas e as facções rebeldes sírias aliadas de Ancara tomaram hoje o controle do povoado de Shenkal, primeiro local que arrebatam das milícias curdas no enclave de Afrin, no Noroeste da Síria, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

A fonte destacou que continuam os enfrentamentos em Shenkal, onde as Forças da Síria Democrática (FSD), uma aliança armada liderada por milícias curdas e respaldadas pelos Estados Unidos, tentam recuperar o terreno perdido.

Em comunicado, o comando do Exército Livre Sírio (ELS) na ofensiva confirmou a conquista de Shenkal, sem dar mais detalhes. A Turquia iniciou ontem uma operação militar em Afrin, região do noroeste da província síria de Aleppo controlada pelas FSD.

Veja também

Astronauta estadunidense vota do espaço
Eleições EUA

Astronauta estadunidense vota do espaço

Para estimular ida às urnas, revista Time substitui logotipo pela 1º vez
internacional

Para estimular ida às urnas, revista Time substitui logotipo pela 1º vez