Fundador do WikiLeaks será interrogado na embaixada do Equador em novembro

Transcrição deste interrogatório será entregue posteriormente aos magistrados suecos

Unidade do Senac na Av. João de Barros, Zona Norte do RecifeUnidade do Senac na Av. João de Barros, Zona Norte do Recife - Foto: Divulgação

O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, será interrogado no dia 14 de novembro por um procurador equatoriano na embaixada do Equador em Londres sobre a denúncia de suposto estupro apresentada contra ele na Suécia em 2010, anunciou nesta segunda-feira o Ministério Público de Estocolmo.

"O Equador aceitou o pedido sueco de assistência legal em assuntos delitivos e a visita estará dirigida por um procurador equatoriano", anunciou o Ministério Público em um comunicado.

A procuradora sueca Ingrid Isgren, chefe-adjunta da investigação contra Assange, e um inspetor da polícia sueca estarão presentes no interrogatório, acrescentou.

Durante esta encontro, se Assange aceitar, será extraída uma amostra de DNA, disse.

A transcrição deste interrogatório será entregue posteriormente aos magistrados suecos, que decidirão então as próximas etapas.

O australiano, de 45 anos, permanece desde junho de 2012 na embaixada equatoriana da capital britânica, quando pediu asilo a Quito para evitar ser extraditado à Suécia.

O Ministério Público sueco quer interrogá-lo por um suposto estupro cometido em 2010, que ele nega.

Assange não quer voltar à Suécia por medo de ser extraditado aos Estados Unidos, onde é criticado pela publicação por parte do WikiLeaks em 2010 de 500.000 documentos classificados sobre Iraque e Afeganistão, assim como 250.000 comunicações diplomáticas.

Veja também

Taxa de contágio do coronavírus volta a subir em Nova York
EUA

Taxa de contágio do coronavírus volta a subir em Nova York

Trump pagou US$ 750 em impostos federais em 2016, segundo The New York Times
EUA

Trump pagou US$ 750 em impostos federais em 2016, segundo The New York Times