Furacão Dorian atinge categoria máxima a caminho das Bahamas

Dorian ganhou força neste domingo e atingiu a categoria 5, a máxima possível, com ventos de 267 km/h

Furacão Dorian Furacão Dorian  - Foto: AFP

O furacão Dorian ganhou força neste domingo e alcançou a categoria 5, o que provoca "condições catastróficas" que o transformam na tempestade mais potente já registrada ao noroeste das Bahamas, informou o serviço de meteorologia americano.

"Condições catastróficas de furacão estão acontecendo nas Ilhas Ábacos e se estenderão pela Ilha Grande Bahama mais tarde e à noite", afirmou o Centro Nacional de Furacões (NHC) no boletim de 15H00 GMT (12H00 de Brasília).

O diretor do NHC, Ken Graham, afirmou que o furacão é "muito poderoso, muito perigoso", representa uma ameaça para o arquipélago turístico do Caribe. "Esta é uma situação extremamente perigosa para as Bahamas", advertiu no Facebook.

Leia também:
Modelo de 19 anos é mordida por tubarão em praia nas Bahamas
Estados Unidos testam míssil após deixar tratado nuclear


De acordo com o NHC, com sede em Miami, com ventos sustentados de 285 km/h, este é o furacão mais potente a passar pelo noroeste das Bahamas, de acordo com os registros modernos. Os ventos podem provocar ondas de três a seis metros de altura em algumas áreas, assim como chuvas torrenciais de 38 a 50 centímetros, e isoladas de 76 centímetros, informou Graham.

Dorian deve permanecer sobre as Bahamas durante quase 30 horas. A imprensa informou que muitos moradores das Ilhas Ábaco optaram por enfrentar a grande tempestade, ao invés de seguir as recomendações do governo de abandonar suas casas.

Muito difícil de prever

Na Grande Bahama, milhares de pessoas abandonaram as áreas que devem ser atingidas pelo Dorian. O primeiro-ministro das Bahamas, Hubert Minnis, intensificou as advertências à população.

"Peço a todos os moradores das Bahamas que na passagem do furacão Dorian deixem suas casas e procurem abrigo", escreveu no Twitter. O furacão deve se aproximar da costa leste da Flórida na segunda-feira à noite e na terça-feira, mas é difícil prever com que intensidade atingirá o estado americano após a mudança de trajetória.

"Está se deslocando e é muito difícil de prever", afirmou o presidente Donald Trump no sábado, ao indicar que Geórgia, Carolina do Sul e Carolina do Norte poderiam estar na linha de frente. O presidente cancelou a viagem à Polônia no fim de semana para monitorar a situação.

"É um dos maiores e mais fortes (e realmente amplos) que vimos em décadas. Cuidem-se!", escreveu no Twitter. O governador da Carolina do Sul, Henry McMaster, declarou emergência no estado. "A força e a imprevisibilidade da tempestade nos obriga a estar preparados para todos os cenários", disse.

O estado de emergência já havia sido declarado na Flórida e em vários condados do estado da Geórgia. A medida permite uma mobilização maior dos serviços públicos estaduais e recorrer, em caso de necessidade, à ajuda federal.

Com a rota da tempestade ainda incerta, os moradores da costa da Flórida não receberam ordens de retirada, mas já estocaram com alimentos, água e outros mantimentos para uma eventual fuga. O governador da Flórida, o republicano, Ron DeSantis, pediu aos moradores que "permaneçam alertas".

Veja também

Taxa de contágio do coronavírus volta a subir em Nova York
EUA

Taxa de contágio do coronavírus volta a subir em Nova York

Trump pagou US$ 750 em impostos federais em 2016, segundo The New York Times
EUA

Trump pagou US$ 750 em impostos federais em 2016, segundo The New York Times