Furacão Matthew atinge Cuba após provocar nove mortes em dois países

Matthew representa o maior desafio ao sistema de alerta e prevenção de emergências de Cuba desde 2012

A BandinhaA Bandinha - Foto: divulgação

O furacão Matthew, a tempestade mais forte a atingir o Caribe em quase uma década, atingiu Cuba nesta quarta-feira (5) e avançou para as Bahamas e os EUA após provocar ao menos nove mortes no Haiti e na República Dominicana.

Em Cuba, 1,3 milhão de pessoas tiveram que deixar suas casas. O furacão tocou o solo cubano pouco antes das 19h locais de terça (20h em Brasília). Além de Guantánamo, o furacão deixou em alerta as províncias Santiago de Cuba, Camagüey, Holguín, Granma e Las Tunas.

O presidente do Conselho de Defesa Municipal de Baracoa (departamento de Guantánamo), Tony Matos, anunciou a previsão de ondas de três a quatro metros de altura, assim como chuvas torrenciais com inundações.

O Matthew representa o maior desafio ao sistema de alerta e prevenção de emergências de Cuba desde 2012, quando o furacão Sandy, de categoria 2, deixou 11 mortos e provocou grande destruição em Santiago de Cuba.

Furacão de categoria 4 na escala Saffir-Simpson (1 a 5) durante a terça, o Matthew foi rebaixado para a categoria 3 no início desta quarta, informou o Centro Nacional de Furacões dos EUA, que tem sede em Miami.

Haiti

No país mais pobre das Américas, ao menos cinco pessoas morreram e 9.280 estão desabrigadas após a passagem do furacão, que registrou ventos de até 230 km/h.
A região sul ficou isolada na terça-feira, após a queda de uma ponte na estrada que liga essa parte do país com a capital, Porto Príncipe.

"Por enquanto, é impossível fazer um balanço e conhecer a extensão da destruição causada pela passagem do ciclone", disse à AFP o porta-voz da Defesa Civil haitiana, Edgar Celestin.

"É a pior tempestade que o Haiti sofre em décadas, e todos os danos serão, sem dúvida, significativos", declarou o representante do Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) no Haiti, Marc Vincent.

"Mais de 4 milhões de crianças podem estar expostas aos estragos do furacão", afirmou a entidade.

O Haiti enfrenta uma grave crise humanitária desde que um terremoto devastador atingiu o país, em 2010, deixando mais de 200 mil mortos.

República Dominicana

Na República Dominicana, onde ao menos quatro morreram, o Centro de Operações de Emergências informou que 8.546 pessoas foram obrigadas a abandonar suas casas na capital, Santo Domingo, assim como em províncias na fronteira com o Haiti.

O Matthew deve alcançar nesta quinta-feira (6) o sudeste dos Estados Unidos, onde os governos da Flórida e da Carolina do Norte decretaram estado de emergência. Já a Carolina do Sul ordenou a retirada de moradores do litoral a partir desta quarta-feira.

"Nosso objetivo é que a população se situe a pelo menos 150 km da costa", declarou a governadora da Carolina do Sul, Nikki Haley.

Diante da chegada do furacão, o presidente Barack Obama adiou um comício previsto para esta quarta-feira, em Miami, com a presidenciável democrata Hillary Clinton.

Veja também

Joe Biden promete vacinas eficazes para todos os adultos nos EUA antes do final de maio
Vacina

Joe Biden promete vacinas eficazes para todos os adultos nos EUA antes do final de maio

Alemanha deve relaxar restrições com testes em massa
Coronavírus

Alemanha deve relaxar restrições com testes em massa