Furacão Matthew deixa danos, mas nenhuma vítima em Cuba

Em Maisí, cidade atravessada pelo olho do furacão, todos os telhados laminados das casas foram arrancados

Anna Karenina: A história de Vronsky Anna Karenina: A história de Vronsky  - Foto: Internet / Reprodução

As autoridades cubanas não informaram vítimas fatais com a passagem do furacão Matthew, mas duas cidades costeiras do leste da Ilha seguiam isoladas nesta sexta-feira (7) - informou a imprensa oficial. A província de Guantánamo foi arrasada na noite de terça-feira (4) por Matthew, o furacão mais violento a atingir o Caribe em uma década.

Em Maisí, cidade atravessada pelo olho do furacão, todos os telhados laminados das casas foram arrancados, enquanto Imías permanecia sem eletricidade nesta sexta-feira (7). As duas cidades continuam inacessíveis por terra, com as estradas bloqueadas por rochas, relatou a imprensa estatal, assegurando que as reservas de água e de alimentos são suficientes para a população.

Baracoa, de 82 mil habitantes e cidade mais antiga da Ilha, foi a mais afetada pelo furacão e permanecia devastada nesta sexta (7). O acesso por terra foi reaberto na quinta-feira, mas os serviços elétrico e telefônico permaneciam suspensos em Baracoa, onde a maioria dos telhados foi arrancada, constatou a AFP.

Três dias após a passagem de Matthew, a rua principal da cidade seguia coberta de escombros - árvores, telhas, caixas d'água e até móveis e eletrodomésticos - e a população reclamava da demora da ajuda. Na quarta-feira (5), os municípios de Maisí, Baracoa, Imías e San Antonio del Sur, totalizando 158 mil habitantes, ficaram isolados e sem comunicações pela passagem de Matthew.

Desde então, as estradas para San Antonio del Sur e Baracoa foram reabertas, e o socorro aéreo chegou aos demais municípios. As autoridades cubanas não informaram sobre qualquer vítima e atribuíram esse resultado às campanhas de informação e à evacuação preventiva de mais de 1,3 milhão de pessoas.

Veja também

Poluição do ar provocou a morte de quase 500 mil recém-nascidos em 2019
Mundo

Poluição do ar provocou a morte de quase 500 mil recém-nascidos em 2019

Onze mulheres morrem em tumulto por vistos no Afeganistão
Mundo

Onze mulheres morrem em tumulto por vistos no Afeganistão