Governador da Califórnia critica praias lotadas em meio à pandemia

Até o momento, Newsom descartou ações repressivas por descumprimento de ordens de confinamento

População da Califórnia não seguiu recomendações e curtiu praia no último fim de semanaPopulação da Califórnia não seguiu recomendações e curtiu praia no último fim de semana - Foto: Apu Gomes / AFP

"O vírus não tira folga no fim de semana", disse o governador da Califórnia nesta segunda-feira(27), criticando as praias lotadas no fim de semana, que segundo ele, pode comprometer todo o sacrifício realizado para conter o avanço do coronavírus no estado.

Enquanto as praias de Los Angeles estão fechadas, os municípios vizinhos de Orange e Ventura as mantêm abertas sob a condição de que se mantenha distância social.

Leia também:

Trump volta atrás em cancelamento de entrevistas diárias sobre coronavírus

Após sugestão de Trump, Nova York tem aumento de chamadas por ingestão de desinfetante 

As areias foram tomadas por banhistas que aproveitavam as temperaturas acima de 30 graus, o que o governador Gavin Newsom classificou como "um bom exemplo do que não queremos ver, do que não se fazer se quisermos continuar o importante progresso feito nas últimas semanas".

"A verdade é que estamos a algumas semanas e não a meses de fazer mudanças significativas e mensuráveis na ordem de confinamento", disse o governador em uma entrevista coletiva em redes sociais. "É uma projeção que, no entanto, é movida por dados, por comportamentos".

A maioria não usava máscaras, mas cumpria ordens de distanciamento social, informou a polícia local, que emitiu avisos, mas não multas.

"O vírus não se pega no fim de semana, não se leva para casa", insistiu Newsom. "A única coisa que vai nos atrasar é o nosso comportamento, (...) as pessoas param de praticar o distanciamento físico e o distanciamento social apropriado. Essa é a única coisa que vai impedir nossa capacidade de reabrir a economia".

Ao contrário de outros estados americanos, a Califórnia implementou rapidamente medidas de contenção generalizadas, que ajudaram a impedir a propagação da COVID-19 e a superlotação nos hospitais, essencial para evitar muitas mortes, segundo especialistas.

Até o momento, quase 45.000 casos e 1.753 mortes foram relatados na Califórnia, um número relativamente modesto para o estado que foi um dos principais impactados pela crise de saúde.

"Viver com medo nunca é recomendado", disse Nika Gavrilovic, em Huttington Beach, no Condado de Orange, à AFP.

"Não há ninguém ao meu redor, estou relaxando, apreciando a vista", disse Craig Bradford. "De manhã, ando pela ciclovia e todos se mantêm distantes, as regras estão sendo seguidas".

Até o momento, Newsom descartou ações repressivas por descumprimento de ordens de confinamento.

"Se alguém perdeu o emprego, a última coisa que quer é ser multado enquanto passeava com o cachorro ou ia à praia com sua família", disse o governador, que, no entanto, disse que pode sancionar qualquer um que abusar "e colocar a vida de outros em perigo".  

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Incêndio florestal causa danos materiais perto de Atenas
Incêndio

Incêndio florestal causa danos materiais perto de Atenas

Explosão em parque industrial mata um na Alemanha; há desaparecidos
Acidente

Explosão em parque industrial mata um na Alemanha; há desaparecidos