Governo da Venezuela determina fechamento de duas emissoras de rádio

O jornal venezuelano El Universal indicou que as duas rádios já foram, inclusive, substituídas por outras.

Nicolás MaduroNicolás Maduro - Foto: Ismael Francisco/ Cubadebate/Fotos Públicas

As emissoras privadas 92,9 FM e Mágica 99,1 saíram do ar neste sábado (26) após o governo da Venezuela ter cancelado a renovação das concessões de ambas. As informações são da agência de notícias EFE.

Apesar de o cancelamento não ter sido confirmado oficialmente pela Comissão Nacional de Telecomunicações (Conatel), a presidente da Câmara de Rádio, Enza Carbone, divulgou a decisão do governo em um comunicado e convocou o órgão para uma reunião extraordinária.

"Lamento informá-los que a Conatel notificou as emissoras 92,9 FM de Caracas e Mágica 99,1 FM de que suas concessões não serão renovadas e ordenou o fim de suas transmissões", disse Carbone. O gerente-geral da Rádio Caracas, Jaimes Nestares, também divulgou a informação no Twitter, e pediu que ambas sigam no ar.

O jornal venezuelano El Universal indicou que as duas rádios já foram, inclusive, substituídas por outras. "A emissora Corazón Llanero tomou posse da frequência da 92,9 FM e a Rádio Vinotinto FM já substituiu a Mágica FM", afirmou jornal.

Reação
A oposição reagiu à decisão do governo. O deputado Tomás Guanipa afirmou que o governo segue promovendo censura e que agora acaba com algumas das rádios mais emblemáticas da Venezuela.

Há dois dias, os canais colombianos de televisão RCN e Caracol foram excluídos da programação da Venezuela por ordem da Conatel, que nos últimos meses também cortou o sinal de veículos estrangeiros como a CNN en Español e a Infobae.

Veja também

Como 46º presidente dos Estados Unidos, Joe Biden entra caminhando na Casa Branca
EUA

Como 46º presidente dos Estados Unidos, Joe Biden entra caminhando na Casa Branca

Cuba espera produzir 100 milhões de doses de sua vacina contra a covid-19 em 2021
Vacina

Cuba espera produzir 100 milhões de doses de sua vacina contra a covid-19 em 2021