Haiti: partido PHTK declara vitória de seu candidato sem esperar os resultados

Apresar disso, apenas o Conselho Eleitoral está habilitado a publicar os resultados

O partido haitiano Tèt kale (PHTK) proclamou nesta segunda-feira (21), dia seguinte ao primeiro turno das eleições, que seu candidato, Jovenel Moïse, é o "presidente eleito do Haiti", mesmo com as apurações ainda não finalizadas e com a possível necessidade de realização de um segundo turno.

Além disso, só o Conselho Eleitoral está habilitado a publicar os resultados.

"O candidato Jovenel Moïse é o presidente eleito do Haiti", declarou ao meio-dia desta segunda-feira Rudy Hérivaux, porta-voz do partido PHTK. "Sabemos oficialmente, o país sabe, o mundo inteiro sabe quem é o presidente eleito do Haiti e isso não é um mistério", acrescentou, em coletiva de imprensa.

Cerca de 6,2 milhões de eleitores foram convocados no domingo no Haiti a irem às urnas para escolher seu futuro presidente, bem como deputados e senadores.

Vinte e sete candidatos disputam a Presidência e quatro têm pretensões de vencer no primeiro turno: Jovenel Moïse, afilhado político do ex-chefe de Estado Michel Martelly pelo partido PHTK; Jude Célestin, da Liga Alternativa para o Progresso e a Emancipação Haitiana (Lapeh); Moïse-Jean Charles, que encabeça o partido Pitit Dessalines; e Maryse Narcisse, porta-voz do ex-presidente Jean-Bertrand Aristide e candidata pelo Fanmi Lavalas.

Após um dia de votação que transcorreu sem grandes incidentes, o presidente do Conselho Eleitoral Provisório (CEP) pediu a todos os atores políticos que aguardassem os resultados que serão difundidos no prazo de oito dias.

"O decreto eleitoral não permite a ninguém dar os resultados no lugar do Conselho Eleitoral e pedimos que isso seja respeitado", afirmou Léopold Berlanger.

Ao violar esta disposição, o PHTK declarou simplesmente que esperava a confirmação de sua vitória.

Veja também

A 9 dias da eleição nos EUA, número de votos antecipados em 2020 ultrapassa os de 2016
EUA

A 9 dias da eleição nos EUA, número de votos antecipados em 2020 ultrapassa os de 2016

Festa nas ruas do Chile após aprovação de nova Constituição em plebiscito
América Latina

Festa nas ruas do Chile após aprovação de nova Constituição em plebiscito