Hezbollah e extremistas decretam cessar-fogo na fronteira Líbano-Síria

Yurud Aarsal, perto da cidade de Aarsal, é uma área montanhosa, onde atuam grupos radicais sunitas procedentes da vizinha Síria

Síria está em guerra civil desde 2011Síria está em guerra civil desde 2011 - Foto: Omar Haj Kadour / AFP

Um cessar-fogo foi decretado nesta quinta-feira (27) na fronteira sírio-libanesa entre o Hezbollah libanês e uma ex-facção da Al-Qaeda - informaram o movimento xiita e um veículo oficial libanês.

Na sexta-feira (21) passada, o poderoso movimento xiita lançou uma operação contra combatentes do Fatah al-Sham (antiga Frente al-Nusra, facção síria da Al-Qaeda), na região fronteiriça de Yurud Aarsal, no leste do Líbano. "Um cessar-fogo entrou em vigor às 6h (00h00 de Brasília) na frente de batalha de Yurud Aarsal", informou o órgão de imprensa do Hezbollah.

De acordo com a agência de notícias libanesa ANI, essa decisão é o resultado de um acordo entre as duas partes negociado pelo diretor de Segurança Geral Libanesa, o general Abbas Ibrahim. O texto também prevê a retirada dos últimos extremistas da região. "Os combatentes da Al-Nusra e suas famílias vão para Idleb", uma província do noroeste da Síria, em grande parte controlada pelos extremistas, acrescentou a ANI.

Em discurso transmitido pela televisão na quarta-feira à noite (26), o líder do Hezbollah, Hassan Nasrallah, declarou que negociações estavam em curso para a retirada dos extremistas, dizendo que seus homens caminhavam para uma "grande vitória militar".

Yurud Aarsal, perto da cidade de Aarsal, é uma área montanhosa, onde atuam grupos radicais sunitas procedentes da vizinha Síria.

Leia também:
Oito civis morrem em ataque aéreo contra cidade rebelde síria 
Filho do ditador da Síria é destaque na Olimpíada Internacio­nal de Matemática 
Mesmo enfraquecido, Estado Islâmico ainda controla 22,65% da Síria   

Veja também

Janet Yellen é confirmada como primeira secretária do Tesouro americano
EUA

Janet Yellen é confirmada como primeira secretária do Tesouro americano

Biden prevê atrasos nas negociações de ajuda financeira para a pandemia
EUA

Biden prevê atrasos nas negociações de ajuda financeira para a pandemia