Homem invade lar de veteranos de guerra na Califórnia e mata três mulheres

Local é a maior residência de ex-militares dos Estados Unidos e abriga quase mil pessoas

Lar para veteranos de guerra fica em Napa, na CalifórniaLar para veteranos de guerra fica em Napa, na Califórnia - Foto: Patway Home / Divulgação

Um homem armado e três mulheres que ele havia tomado como reféns foram encontrados mortos nesta sexta-feira (9), em um lar de veteranos de guerra na Califórnia, depois que a polícia acabou com um cerco de várias horas ao local.

O homem atacou, às 10h20 locais (15h20 de Brasília), o Lar de Veteranos Yountville, no Vale de Napa. Trata-se da maior residência de ex-militares dos Estados Unidos, que abriga quase mil pessoas.

"Pouco depois das 18h, agentes das forças de segurança entraram no quarto onde pensavam que o suspeito mantinha os reféns e, infelizmente, encontraram três mulheres sem vida e um suspeito do sexo masculino morto", afirmou o chefe de polícia da região, Chris Childs. "É uma notícia trágica, que esperávamos realmente não ter que anunciar ao público", disse.

Leia também:
Tímido avanço em discussão sobre armas nos EUA após massacre em Las Vegas
Câmara da Flórida eleva para 21 anos idade para compra de armas como fuzis
Uma das principais lojas de armas dos EUA anuncia restrições na venda
Protestos põem lobby pró-armas dos EUA em defesa


A polícia do condado de Napa divulgou um alerta nas redes sociais para que as pessoas evitassem a região, onde havia sido anunciado um tiroteio. Agentes, apoio aéreo e uma equipe de intervenção especial foram enviados ao local.

Childs afirmou que o primeiro policial a chegar ao local trocou tiros com o suspeito. "Nós consideramos que ele salvou vidas ao impedir que o suspeito saísse e encontrasse mais vítimas", declarou.

A imprensa local informou que as três vítimas fatais eram funcionárias da The Pathway Home, um serviço de assistência a veteranos que sofrem de estresse pós-traumático e que atua na residência de veteranos. A polícia não determinou até o momento se elas eram o alvo do ataque ou foram escolhidas ao acaso.

O jornal San Francisco Chronicle indicou que o homem (aparentemente, um veterano de guerra de 36 anos que estava com uma "reserva de balas" ao redor do pescoço e e da cintura) havia participado no programa de tratamento de estresse pós-traumático. Ele estava armado com um fuzil.

O jornal citou o senador Bill Dodd, que anunciou que a diretora executiva do programa, Christine Loeber, era uma das falecidas. As autoridades não revelaram oficialmente os nomes das vítimas.

A polícia não informou as circunstâncias das mortes, mas a imprensa local, com base em fontes não reveladas, afirma que o criminoso atirou nas três mulheres antes de cometer suicídio com a própria arma.

Dodd, que tem seu distrito eleitoral na área do lar de veteranos, afirmou que o atirador havia recebido a solicitação para deixar o local há alguns dias. "É um programa residencial. Os rapazes moram no edifício, os funcionários trabalham no edifício", explicou Larry Kamer, cuja esposa Devereaux Smith trabalha no complexo, em entrevista ao canal ABC7 News. Smith, diretora de desenvolvimento da Pathway Home, estava em um grupo de quatro mulheres que foram liberadas pelo criminoso, disse Kamer. Ele contou ainda que o atirador (que chegou durante uma festa de despedida de dois funcionários) estava tranquilo e conversou com todos.

As vítimas foram encontradas após várias horas de tentativas infrutíferas da polícia de Napa e do FBI de entrar em contato com o homem.

O secretário do Departamento de Veteranos da Califórnia, Vito Imbasciani, afirmou que estava devastado com as mortes. "Sentimos grande pesar por toda a comunidade do Lar de Veteranos de Yountville e pelos parentes e amigos atingidos por estas mortes", disse.

Veja também

A 8 dias da eleição, Senado dos EUA confirma juíza ultraconservadora para a Suprema Corte
internacional

A 8 dias da eleição, Senado dos EUA confirma juíza ultraconservadora para a Suprema Corte

Vacinação eficiente contra Covid vai depender de estatísticas, diz agência de saúde europeia
Coronavírus

Vacinação eficiente contra Covid vai depender de estatísticas, diz agência de saúde europeia