Incêndios na Califórnia forçam a evacuação de 180 mil pessoas

Rajadas de vento de 130 km/h atiçam o incêndio chamado "Kincade", que ameaça dezenas de milhares de estruturas

Incêndio na CalifórniaIncêndio na Califórnia - Foto: Josh Edelson / AFP

Ventos fortes alimentam o incêndio que ameaça o condado de Sonoma, na Califórnia, que já arrasou mais de 12.000 hectares e forçou a ordenar a evacuação de cerca de 180.000 pessoas.

De acordo com o Corpo de Bombeiros da Califórnia (Cal Fire), o incêndio, que começou na noite de quarta-feira, estava contido em apenas 10% na manhã deste domingo, em meio a condições climáticas excepcionais que incentivam sua propagação.

"Esta é a maior evacuação que qualquer um de nós pode se lembrar. Cuidem-se", tuitou o escritório do xerife do condado de Sonoma, ao norte de São Francisco e cuja principal cidade é Santa Rosa.

Leia também:
Incêndio atinge vegetação da Chapada Diamantina, na Bahia
Focos de incêndio na Amazônia caíram 16% em setembro
Incêndio destrói capela histórica em Diamantina

Rajadas de vento de 130 km/h atiçam o incêndio chamado "Kincade", que ameaça dezenas de milhares de estruturas, informou o Serviço Nacional de Meteorologia.

Um total de 77 estruturas, incluindo 31 prédios residenciais, foram destruídas pelo fogo até sábado, enquanto mais de 2.800 soldados foram convocados para combater as chamas, disse Jonathan Cox, porta-voz do Departamento de Florestas e Proteção contra Incêndios da Califórnia.

"Não sei explicar", disse Tina Tavares, de 70 anos, que foi evacuada de sua casa em Geyserville. "É como se você estivesse em um terremoto, o chão se abre... você está olhando e não sabe o que fazer".

"Este é realmente um evento que chamamos de histórico e extremo", disse o meteorologista americano David King ao Los Angeles Times.

Os fortes ventos, que provocarqam um alerta vermelho que indica alto risco, durarão até segunda de manhã, segundo os meteorologistas.

Enquanto isso, a principal empresa de energia da Califórnia, Pacific Gas & Electric Co. (PG&E), anunciou planos para o corte de gás e eletricidade de 940.000 consumidores, uma medida preventiva que pode afetar cerca de 2 milhões de pessoas, segundo a imprensa local.

Um mapa divulgado pela PG&E mostrou os apagões que afetaram grandes áreas que se estendem por cerca de 400 quilômetros ao norte de São Francisco, bem como ao sul e leste.

"Ventos dessa magnitude apresentam um risco maior de danos e faíscas no sistema elétrico e a rápida propagação de incêndios florestais", apontou a companhia.

A PG&E está no centro das atenções depois que quase 28.000 clientes no Condado de Sonoma ficaram sem energia esta semana, mas algumas linhas de transmissão de alta tensão ainda estavam operando quando o incêndio começou.

O mesmo tipo de linha foi responsável pelos incêndios florestais mais mortais da Califórnia no ano passado: o Camp Fire, que matou 86 pessoas.

A PG&E, que pediu falência no início deste ano, foi responsável por vários outros incêndios na Califórnia nos últimos anos.

O governador do estado, Gavin Newsom, declarou estado de emergência e atacou a empresa na sexta-feira, dizendo que havia colocado seus "lucros acima do povo da Califórnia".

Mais ao sul da Califórnia, a maioria das ordens de evacuação foi levantada. As chamas forçaram dezenas de milhares de pessoas a deixar suas casas perto de Santa Clarita, norte de Los Angeles.

Veja também

Itália aprova em referendo corte de mais de um terço de deputados e senadores
Itália

Itália aprova em referendo corte de mais de um terço de deputados e senadores

Centenas de baleias encalhadas são encontradas no sul da Austrália
Mundo

Centenas de baleias encalhadas são encontradas no sul da Austrália