Índia bate recorde mundial ao lançar 104 satélites usando um único foguete

Lançador orbital PSLV transportou um satélite indiano de observação da Terra de 714 quilos e 103 nano-satélites, em sua maioria de países estrangeiros

Lançamento de foguete na ÍndiaLançamento de foguete na Índia - Foto: Arun Sankar/AFP

A Índia colocou em órbita 104 satélites com um único foguete nesta quarta-feira (15). A operação representa um novo recorde mundial, que até então pertencia à Rússia, que em junho de 2014 colocou em órbita 39 satélites. O lançador orbital PSLV deixou a plataforma de Sriharikota, no sudeste da Índia, transportando um satélite indiano de observação da Terra de 714 quilos e 103 nano-satélites, em sua maioria de países estrangeiros. O carregamento total pesou mais de 600 quilos. As informações são da Radio France Internationale (RFI).

O primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, que tenta tornar seu país uma potência espacial, disse que a operação representa um "êxito excepcional". Este lançamento "é um novo momento de orgulho para nossa comunidade científica espacial e para a nação", tuitou Modi. Símbolo da conquista indiana do espaço, a sonda Mangalyann, como os indianos chamam popularmente o aparelho cujo nome oficial é MOM (Mars Orbiter Mission), já aparece nas novas notas de 2 mil rúpias colocadas em circulação pelo governo.

Administrar simultaneamente uma quantidade tão grande de objetos – por mais leves que sejam – exige uma precisão extrema, afirmam os especialistas. "Lançar tantos satélites ao espaço de uma só vez é um desafio técnico, porque eles não têm a mesma trajetória. Além disso, é preciso evitar que se toquem no momento do lançamento", explicou o representante do Centro Nacional de Estudos Espaciais francês na Índia, Mathieu Weiss.

Baixo custo é vantagem


O mercado de lançamento de satélites comerciais não para de crescer, em um contexto no qual a telefonia, a internet e as empresas precisam cada vez mais desse tipo de suporte. A Índia, cujo programa espacial é conhecido pela otimização de gastos, compete diretamente neste setor com outros atores internacionais.

O país soube combinar confiabilidade e redução de custos para "assumir um lugar no mercado espacial mundial", disse Ajay Lele, do Instituto de Estudos e Análises de Defesa de Nova Déli. Em 39 missões, o lançador PSLV sofreu apenas um acidente, em seu primeiro lançamento, em 1993.

O programa espacial indiano, lançado nos anos 1960, chamou a atenção do mundo em 2014, quando conseguiu colocar uma sonda em órbita em torno do planeta Marte. O projeto custou apenas US$ 73 milhões, cerca de 10% do que a Nasa pagou por uma missão similar.

Veja também

Covid-19: OMS aponta presença da variante de Manaus do coronavírus em oito países
Coronavírus

Covid-19: OMS aponta presença da variante de Manaus do coronavírus em oito países

Viajante do Brasil ficará em quarentena vigiada por 10 dias, anuncia Boris Johnson
Coronavírus

Viajante do Brasil ficará em quarentena vigiada por 10 dias, anuncia Boris Johnson