Indicado à Suprema Corte chama de 'desolador' ataque de Trump à Justiça

O jornal "The Washington Post" e a agência de notícias Associated Press dizem que a equipe do magistrado confirma a frase

Presidente dos EUA, Donald TrumpPresidente dos EUA, Donald Trump - Foto: Saul Loeb/AFP

O indicado por Donald Trump para a Suprema Corte, Neil Gorsuch, chamou de desmoralizantes e desoladores os ataques do presidente dos Estados Unidos à Justiça. A informação é do senador democrata Richard Blumenthal, que conversou com o juiz nesta quarta (8).

O jornal "The Washington Post" e a agência de notícias Associated Press dizem que a equipe do magistrado confirma a frase. "Ele certamente expressou a mim que ele estava desolado pelos comentários desmoralizantes e abomináveis feitos pelo presidente Trump sobre o Judiciário", disse o parlamentar, após a reunião privada com o juiz.

No último sábado (4), o republicano começou uma série de críticas aos magistrados depois que o juiz federal, James Robart, de Seatlle, aprovou uma liminar que derrubou o veto à entrada de imigrantes de sete países islâmicos. Por uma rede social, ele chamou Robart de "suposto juiz" e qualificou a decisão como ridícula. No dia seguinte, Trump disse que os cidadãos deveriam culpar o magistrado e o Judiciário "se acontecesse alguma coisa" ao país.

O alvo passou a ser a 9ª Corte de Apelações, sediada em San Francisco, que rejeitou recurso do governo. O tribunal ainda avalia a liminar que levou ao veto, após o governo e os detratores da medida apresentarem seus argumentos. "Vamos ver. Tomara que não seja necessário", disse o presidente ao ser questionado se recorreria à Suprema Corte caso o recurso do governo seja recusado.

"MODO POLÍTICO"

A última declaração foi feita nesta quarta: "Os juízes parecem ser tão políticos, e seria ótimo para o nosso sistema judiciário se eles fizessem o que é certo", disse Trump.

"Eles estão interpretando as coisas diferente de provavelmente 100% das pessoas nesta sala. Nós queremos segurança."
A audiência foi transmitida ao vivo pela TV, e Trump disse que acompanhou espantado: "ouvi coisas que eu não podia acreditar".

Veja também

Polícia prende mais de 50 em 2ª noite de protestos após morte de homem negro nos EUA
Racismo

Polícia prende mais de 50 em 2ª noite de protestos após morte de homem negro nos EUA

Mianmar pode ser a próxima Síria, adverte ONU
Mundo

Mianmar pode ser a próxima Síria, adverte ONU